Ana Sanches defende que a mineração “mostre a cara”, seja transparente

21/03/2024
Nova presidente do Conselho Diretor do IBRAM tomou posse no cargo no dia 20 de março, em cerimônia realizada em Brasília.
Dirigentes do Ibram

 

“A gente não vive em sociedade sem a mineração. Temos o dever de fazer mineração que gere recursos, renda, mas que tenha muita responsabilidade social, muita escuta, muita humildade com as comunidades onde estamos inseridos, muita vontade de fazer cada vez melhor e com mais responsabilidade com a transparência. A gente tem que colocar a cara para fora, tem que contar nossas histórias para as pessoas e é importante engajar coletivamente e esta é a força do IBRAM que pode nos conduzir nesta jornada. Juntos somos mais fortes”.

Foi o que disse a nova presidente do Conselho Diretor do IBRAM, que tomou posse no cargo no dia 20 de março, em cerimônia realizada em Brasília que contou com a presença de centenas de convidados, entre empresários do setor e autoridades. Para Ana Sanches, a diversidade de gênero nas empresas e instituições não deve ser vista como um embate entre homens e mulheres, o que faria com que todos perdessem, mas uma união de forças. “juntos somos muito mais fortes. Esta é a força da diversidade, dos diferentes olhares.”, disse ela.

A nova presidente do Conselho Diretor também pediu que a indústria mineral junte forças com o IBRAM para agir na defesa dos interesses setoriais e para expor a verdadeira face da mineração brasileira para a sociedade: uma mineração que contribui para o desenvolvimento socioeconômico do País e que é essencial para a vida humana e o futuro do planeta.

Já o diretor-presidente do IBRAM, Raul Jungmann, afirmou que “nosso rumo é voltado para o desenvolvimento, para a equidade, para o respeito às pessoas e preciso destacar a questão da diversidade. A Ana não está como CEO da Anglo American por outro motivo que não seja pela sua competência de 27 anos profissionalmente muito bem disciplinados, uma formação excelente em várias áreas do conhecimento, experiências em vários cargos nas empresas onde construir sua carreira. Por ser mulher, Ana é um símbolo também. IBRAM tem 47 anos de existência e nunca tivemos uma mulher que nos representasse, somos um setor masculino”.

Já o vice-presidente do Conselho Diretor do IBRAM, Ediney Drummond, disse que a nomeação de Ana Sanches é um marco não apenas para o IBRAM, mas para toda a indústria mineral brasileira e “mostra a importância da diversidade e da inclusão em todos os níveis de liderança”.