Termomecanica quer novos destinos a subprodutos

23/06/2022
A parceria tem duração prevista de 19 meses e o projeto iniciou em maio, sob o comando de pesquisadores docentes e estudantes.

Empresa especializada na transformação de cobre e suas ligas, a Termomecanica, por meio do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Ensaios (CPDE), firmou acordo com o Centro de Inovação em Materiais (CIM), unidade que integra a rede Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) para transformar os subprodutos da cadeira produtiva do cobre em soluções de nanotecnologia, para aplicações práticas em diferentes cenários industriais e domésticos. A parceria tem duração prevista de 19 meses e o projeto iniciou em maio, sob o comando de pesquisadores docentes e estudantes. 

“Sempre fomos reconhecidos por valorizar ações de Pesquisa e Desenvolvimento e estamos tendo uma excelente oportunidade de darmos mais um passo à frente no tema”, afirma o Coordenador do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Ensaios da Termomecanica, Márcio Rodrigues. Entre as transformações dos subprodutos do cobre, Rodrigues comenta que o metal é um material muito versátil e bastante conhecido por sua atividade microbicida, além da sua atuação em rotas enzimáticas. “Esperamos, com a pesquisa, colaborar com o subsídio científico já conhecido, sobre as características biocidas sobre diferentes patógenos, mas também aprofundar em outros aspectos”, explica.

Para Márcio, a ressignificação dos subprodutos oriundos do cobre pode resultar, entre outras coisas, em soluções a serem empregadas no uso doméstico e industrial, tais como a aplicação em pecuária, agricultura e cosméticos, bem como para a produção de tintas. Além disso, a Termomecanica preocupa-se com a responsabilidade socioambiental, que envolvem sociedade, órgãos públicos e empresas privadas. O tema tem uma legislação específica, a Lei nº 12.305/10, que instrui que os descartes de subprodutos sólidos devem ter uma destinação ambientalmente correta. Segundo Rodrigues, esse também é um dos propósitos da pesquisa. “Esta ação firma o compromisso da Termomecanica em promover uma realidade sustentável, ecologicamente responsável e que encontre, por meio da ciência, caminhos para contribuir positivamente na relação da ecologia com a produção industrial.”, ressalta.