21/01/2021
INVESTIMENTOS

Nexa prevê Capex de US$ 450 mi em 2021

A Nexa anunciou que o CAPEX para 2021 é estimado em US$ 450 milhões, dos quais US$ 232 milhões serão destinados ao Projeto Aripuanã. Ao longo do ano de 2020, houve um esforço em preservação do caixa e, consequentemente, os investimentos que não eram voltados à expansão foram reduzidos, sendo mantidas as iniciativas essenciais para assegurar que as operações cumprissem todos os requisitos de segurança. Em 2021, a Nexa deverá retomar investimentos em sustentabilidade, saúde e segurança em patamares similares ao período anterior à pandemia, de forma a garantir a sustentabilidade de longo prazo de seus negócios. Na área de exploração mineral, a Nexa deverá somar um investimento de US$ 51 milhões em 2021, montante que envolve o desenvolvimento de novos projetos greenfield e de minas já em atividade. Também serão destinados US$ 20 milhões para a realização dos projetos minerários nas fases FL1 e FL2, além de US$ 10 milhões para o desenvolvimento social e econômico das comunidades onde a empresa atua.

A empresa produziu 313 mil toneladas de zinco, 28 mil toneladas de cobre, 38 mil toneladas de chumbo e 6,8 milhões de onças de prata em 2020, desempenho operacional que é considerado positivo, apesar do cenário desafiador gerado pela pandemia. As metas de produção projetadas para o exercício foram alcançadas em todos os metais e a projeção de vendas foi superada. 

O volume das vendas de metais (zinco metálico e óxido de zinco), produtos com maior valor agregado, atingiu 585 mil toneladas, acima da expectativa da Companhia para 2020. “Continuamos comprometidos em entregar crescimento com disciplina de capital, buscando a rentabilidade do nosso negócio. Proteger a saúde dos nossos colaboradores, prestadores de serviço e das comunidades onde estamos presentes segue sendo nossa maior prioridade. Nesse sentido, medidas de continuidade dos negócios adotadas desde o início da pandemia devem permanecer em vigor em 2021. Reforço também que a Nexa tem uma posição única na América Latina, com projetos de baixo risco e portfólio atraente de crescimento”, comenta Tito Martins, CEO da Nexa. 

Para 2021 e 2022, a estimativa é que a produção de zinco aumente 8% e 7%, respectivamente, devido à entrada em operação do projeto Aripuanã. Maior investimento em curso da Nexa, o projeto está focado na produção de zinco, chumbo e cobre. Para 2023, é possível que a produção caia 4% em relação a 2022, em decorrência do menor teor médio de zinco. A Nexa prevê um crescimento de 7% nas vendas para 2021 em relação ao ano passado. Para 2022-2023, a tendência de aumento deve continuar, atingindo entre 615 e 640 mil toneladas, já que as refinarias vão seguir operando com elevadas taxas de utilização.