04/03/2021
PANDEMIA

Mineradoras preocupadas com empregados

Segundo a pesquisa "Plano de Prevenção e Gestão da Covid-19 no Setor de Mineração" realizada pela Mercer Marsh Benefícios, consultoria de gestão de saúde e benefícios, as empresas do setor de mineração reavaliaram e colocaram em prática novas estratégias de governança e compliance para gerenciar os riscos de contaminação pelo novo Coronavírus entre os seus colaboradores. O levantamento foi realizado com 33 mineradoras (58% multinacionais e 42% nacionais) na América Latina - instaladas no Brasil, Peru, Chile, Argentina e México. Das 33 empresas participantes, dez operam no Brasil. 

Com o objetivo de preservar a segurança dos funcionários e, ao mesmo tempo, garantir a continuidade dos negócios, mais da metade (61%) das mineradoras paralisaram as operações e priorizaram, parcialmente, as atividades essenciais, depois das diretrizes de distanciamento social estabelecidas pelos órgãos públicos de saúde. As políticas de contenção dos riscos de contaminação entre os trabalhadores seguem uma série de estratégias: 67% reduziram a quantidade de pessoas das equipes administrativas e operacionais que trabalhavam dentro da planta da mineração, e 79% alteraram a carga horária (redução, por exemplo) e os dias de descanso. O total de dias de descanso tem sido igual ou superior ao tempo máximo de incubação do vírus (14 dias). 

Os refeitórios das empresas de mineração foram reduzidos por 85% das empresas, enquanto 67% ampliaram o horário de funcionamento dos locais para que os trabalhadores tenham mais tempo disponível de revezamento. As companhias também instalaram divisórias entre as mesas para que os colaboradores possam manter uma distância segura entre eles. Outros locais de aglomeração como áreas de lazer e entretenimento também foram incluídos no rol de medidas preventivas: 45% suspenderam o uso de academias, quadras de futebol e basquete e 53% fecharam outras áreas de lazer como salas de TV, jogos e lan house, por exemplo.

O levantamento aponta que 55% das companhias de mineração colocaram em prática medidas para mapear colaboradores em situação de risco de contaminação. A maioria (83%) mapeou e identificou colaboradores que tiveram contatos com pessoas suspeitas de contaminação ou casos confirmados. Outras (72%) mapearam o meio de transporte utilizado pelos funcionários para se deslocar para o trabalho, enquanto 50% estudaram a localização de domicílios dos funcionários que estão em áreas de alta incidência de casos de Covid-19 e o número de pessoas residentes na casa. Para trabalhadores acima de 60 anos, pouco mais da metade (52%), redesenhou a rotina de trabalho, enquanto 30% disponibilizaram EPIs (equipamentos de proteção pessoal) como máscaras e protetor ocular. Em relação aos testes, somente um pequeno grupo (27%) de mineradoras passou a fazer exames periódicos nos colaboradores.

Os equipamentos de proteção individual (EPIs), ao mesmo tempo que são instrumentos de prevenção contra o vírus da COVID-19, também oferecem riscos aos trabalhadores se descartados de maneira incorreta. Por isso, mais da metade (58%) das mineradoras instalou coletores específicos para descarte de máscaras, luvas e outros EPIs.

Veja também