Fechamento de Barragem em MG

09/06/2021

A Jaguar Mining está implantando uma planta de filtragem para substituir a disposição dos rejeitos em polpa pela disposição do rejeito filtrado. A companhia está otimizando o seu sistema de disposição de rejeito da lixiviação na unidade CCA/RG, em Caeté (MG). Todo esse plano visa o fechamento da Barragem de Moita, construída no município em 2009, e tem como objetivo a disposição de rejeitos de minério de ouro provenientes do beneficiamento realizado na planta metalúrgica da unidade da empresa.

A planta de filtragem de rejeito da lixiviação foi projetada para operar por um mínimo de cinco anos, com 90% de disponibilidade operacional, equivalente a uma capacidade de 6 t/h ou 47.304 toneladas por ano. O circuito compreende a área de espessamento, tancagem, filtragem e uma estação de tratamento de efluentes industriais. A Jaguar garante que todos os potenciais contaminantes ambientais serão completamente neutralizados e contidos no processo, sem riscos ao meio ambiente e comunidades ao longo do armazenamento, que ocorrerá em área controlada. Atualmente, o projeto está na fase de implantação e a previsão para o start-up é setembro de 2021.

É prevista a acomodação total de 104.634 m³ de rejeito filtrado ao longo de 46 meses. Este rejeito filtrado será disposto acima do rejeito já depositado hidraulicamente nos últimos anos. A previsão média de altura do enchimento é de três metros dentro do reservatório, obedecendo a cota mínima necessária para o fechamento da barragem e condução de água de chuva que não terá contato com o rejeito. Após a disposição do material filtrado o mesmo será envelopado com geomembrana e posterior cobertura de solo orgânico e plantio de grama.