01/06/2017
POTÁSSIO

Verde AgriTech projeta 25 milhões t

Segundo estudo preliminar da Verde AgriTech, a empresa vê possibilidade de produzir 25 milhões de toneladas anuais de rochas potássicas usadas como fertilizantes a partir de 2025. A empresa iniciou estudo preliminar de viabilidade para ampliação da produção de seu principal produto: o Super Greensand, produzido a partir de rochas potássicas extraídas em Minas Gerais. 
 
"O projeto de expansão vai ser implementado em múltiplas fases e vai usar empreiteiros na mineração e na industrialização, o que vai reduzir de forma significativa o custo de capital inicial. Essa abordagem escalável e modular é factível graças à natureza de mina a céu aberto dos recursos minerais da Verde e um fluxograma de produção simplificado, que demanda somente britagem e moagem", diz o comunicado da empresa. A Verde atua no Brasil através da Verde Fertilizantes e da FVS Mineração e tem recursos medidos e indicados de 1,47 bilhão de toneladas com teor de 9,2% K2O, incluindo recursos medidos de 83 milhões de toneladas de minério com 10,1% K2O, que estão de acordo com a norma canadense NI 43-101. Há ainda recursos inferidos de 1,85 bilhão de toneladas com 8,6% K2O.
 
Desde o final de abril a FVS conta com guia de utilização para o processo 830.383/2008, no DNPM, para produzir 20 mil toneladas de rocha potássica em Matutina e São Gotardo, em Minas Gerais. A guia para a lavra de verdete, minério também conhecido como glauconita, é válida até 9 de fevereiro de 2021.
 
A Verde e seus consultores acreditam que o estudo de pré-viabilidade seja concluído no quarto trimestre de 2017. "Com a Verde agora em produção e vendendo, vamos procurar elevar a produção e nos posicionar como um importante ator na cena de agricultura do Brasil", disse Cristiano Veloso, presidente e CEO da Verde. O maior projeto já planejado de fertilizantes no país é o da Brasil Potash, em Autazes (AM), com previsão de produção da ordem de 2,1 milhões de toneladas por ano. Há ainda o projeto Carnalita, da Vale, cuja divisão de fertilizantes foi vendida para a Mosaic. Nesse projeto, que está suspenso, o volume planejado foi de 1,2 milhão de toneladas por ano.

Veja também