02/08/2018
USIMINAS

Receita líquida atinge R$ 3,2 bilhões

A Usiminas obteve Ebitda ajustado de R$ 519 milhões no segundo trimestre de 2018, com uma margem Ebitda de 16%. No primeiro semestre, o Ebitda ajustado da companhia atingiu R$ 1,16 bilhão e a margem de Ebitda chegou ao patamar de 18%. Entre abril e junho a Usiminas registrou prejuízo líquido de R$ 19 milhões. Desconsiderados os impactos do provisionamento contábil e da paralisação dos caminhoneiros, bem como da desvalorização do real frente ao dólar, que atingiu 16%, a companhia contabilizaria lucro líquido superior a R$ 200 milhões. Nos seis primeiros meses de 2018, a Usiminas teve lucro líquido de R$ 138 milhões. “Nos últimos meses, a percepção da população e dos agentes econômicos foi duramente abalada pela paralisação dos caminhoneiros, que coincidiu com o momento de expressiva elevação do câmbio. Esses fatores, somados ao crescimento do protecionismo internacional e às incertezas no cenário político, trouxeram à tona fragilidades da economia e criaram uma crise de confiança que prossegue até o momento”, avalia o presidente da Usiminas, Sergio Leite.

A receita líquida alcançou R$ 3,2 bilhões no segundo trimestre e foram comercializadas 977 mil toneladas de aço no mesmo período. Já a venda de minério de ferro, de abril a junho, atingiu 1,4 milhão. Mesmo num cenário adverso, a Usina de Ipatinga aumentou a produção de aço das 715 mil toneladas registradas nos três primeiros meses do ano para 813 mil toneladas no trimestre encerrado em junho. A produção de laminados nas usinas de Ipatinga e Cubatão totalizou 1,06 milhão de toneladas, estável em relação a do primeiro trimestre, quando foram produzidas 1,07 milhão de toneladas. Os investimentos (Capex) totalizaram R$ 66,8 milhões no período, contra os R$ 64,9 milhões dos três primeiros meses de 2018.

 

Veja também