27/03/2019
DIAMANTES

Mina da Lipari pode ser subterrânea

A Lipari Mineração dá prosseguimento ao projeto de transformar a mina de diamante de Braúna, no município de Nordestino (BA), em uma operação 100% subterrânea quando o atual plano de mina a céu aberto estiver concluído, em 2022. A companhia recebeu recentemente estudo independente de engenharia realizado pela canadense SRK Consulting Inc., que forneceu plano de mina conceitual para a lavra do kimberlito Braúna 3 abaixo da cava, com a construção de uma rampa de acesso de dentro do pit final. 
 
A SRK avaliou ser viável uma mina subterrânea e que as características do corpo do minério kimberlítico são favoráveis ao método denominado "sub-level retreat", ou "open benching". Este método de mineração subterrânea foi implementado com sucesso em várias minas de diamantes de kimberlito no Canadá e na África do Sul. "Este estudo de engenharia é um passo importante para a nossa empresa, pois fornece o plano básico e acompanhamento do orçamento que permitirão a transição da mina a céu aberto para uma operação subterrânea em 2022. Iniciamos recentemente um contrato de R$ 6 milhões destinados a estudos de exploração e desenvolvimento que serão realizados durante o ano de 2019, para expandir os recursos em profundidade do depósito Braúna 3”, disse o presidente e CEO da Lipari, Ken Johnson. 
 
O primeiro passo do projeto para este ano foi enviar 1,5 toneladas de amostras de rocha kimberlítica para um laboratório especializado em diamantes no Canadá, para confirmar o teor de diamante no minério. A Lipari reiniciará em breve o trabalho de sondagem profunda, com o foco em ampliar o tamanho dos recursos de kimberlito em profundidade. 
 
Paralelamente ao projeto da mina subterrânea a Lipari está com projeto em andamento para exploração no depósito Braúna 3. A companhia avaliou outros 21 kimberlitos e também novos alvos de kimberlito, que estão situados próximos à mina. A Lipari contratou recentemente a Avant Geotecnologias para reprocessar todos os dados de levantamentos magnéticos que foram coletados durante pesquisas anteriores de exploração com a utilização de tecnologias mais avançadas e inovadoras disponíveis no mercado. 
 
O trabalho resultou em um melhor entendimento da geologia dos kimberlitos Braúna, o que ajudará a Lipari a priorizar os melhores alvos de kimberlito para exploração. As atividades nesses novos alvos deverão se iniciar em abril de 2019 e irão gerar de 8 a 10 novos postos de Trabalho para moradores de Nordestina.

Veja também

02/05/2019
DIAMANTES | Tecnologia recupera pedra preciosa
06/12/2018
DIAMANTES | DM Mineração investe no Piauí
14/11/2018
DIAMANTES | Monitoramento 3D em minas
27/09/2018
DIAMANTES | Descobre zona rica no Jequitinhonha
05/07/2017
DIAMANTES | Five Star abre o mercado em Toronto
29/03/2017
PEDRAS PRECIOSAS | MME e CPRM divulgam dados do Projeto Diamante
22/09/2016
DIAMANTES | Turquoise e Five Star anunciam fusão