05/04/2018
NÍQUEL

Começa revisão de minas nas Filipinas

O Conselho Coordenador do Setor de Mineração das Filipinas iniciou a revisão de 26 minas iniciais que foram obrigadas a fechar ou a suspender suas atividades no começo de 2017. Na ocasião o governo local determinou a suspensão de cinco minas e o fechamento de outras 23 minas que não haviam passado por auditoria do setor minerário. Dentre as minas atingidas pela decisão – de suspender ou fechar as atividades – muitas realizavam extração de minérios de níquel, exportados para a China.

A primeira fase da revisão cobrirá questões jurídicas, técnicas e ambientais e com previsão de ser concluída dentro de três meses. A segunda etapa tratará de aspectos econômicos e sociais e incluirá uma análise social de custo-benefício, além de avaliar mudanças nos ecossistemas e uma análise detalhada de eqüidade das operações de mineração. A segunda fase também é prevista para ser finalizada em três meses, provavelmente em setembro de 2018.

Os relatórios de revisão da primeira e da segunda fase serão consolidados em um único documento. O Conselho também concordou com uma nova revisão em 2019 e depois a cada um ou dois anos.

Em 2017, as minas afetadas continuaram a transportar minério de níquel de seus estoques sob apelação, a fim de limitar a possível acumulação de sedimentos em corpos de água próximos. A produção de minas no país cresceu para 366 mil toneladas em uma base de conteúdo de níquel (de 342 mil t em 2016). Do total, 27% da produção veio das minas sujeitas ao aviso de suspensão e fechamento, uma proporção ligeiramente superior à de 2016 (26%).