Quais são as mineradoras mais sustentáveis?

13/10/2021

A revista Brasil Mineral está iniciando o processo de votação para escolha das Empresas do Ano do Setor Mineral, que agora abrange cinco categorias: Governança Ambiental, Governança Social, Inovação & Tecnologia, Pesquisa Mineral e Crescimento. Cada categoria leva em consideração uma série de critérios que servem de orientação para escolha das empresas que se destacaram nos vários itens que caracterizam uma mineradora sustentável: 

Governança Ambiental (redução de impactos ambientais na lavra e no processamento e comunidades adjacentes; redução do consumo de água e reutilização/recirculação de água; redução das emissões de GEE e do consumo de energia, emprego de fontes de energias renováveis/transição energética; redução do consumo de matérias-primas e outros insumos, economia circular; gestão de barragens e rejeitos, backfill, aproveitamento econômico de estéreis e rejeitos, economia circular; conservação de reservas naturais); 

Governança Social (relacionamento, comunicação e transparência com as comunidades locais; apoio à educação nas comunidades locais; apoio ao desenvolvimento de fornecedores locais, apoio ao empreendedorismo para diversificação das atividades econômicas nas comunidades; relacionamento e transparência com o poder público local/regional; gestão e valorização dos recursos humanos, turn over, adoção e incentivo à diversidade; comunicação com a sociedade em geral, reputação);

Inovação e Tecnologia (inovação em processos e produtos; atividades de inovação/patentes: P&D interno, P&D externo, treinamento, introdução de inovações tecnológicas no mercado, aquisição de máquinas e equipamentos, aquisição de software e projeto industrial; intensidade tecnológica (%) (despesas P&D/receita), intensidade de inovação (%) (despesas atividades de inovação/receita; mineração 4.0/transformação digital: automação, robotização; IoTbig data, inteligência artificial; inovação aberta: interação com universidades e centros de pesquisa, interação com fornecedores de equipamentos e serviços tecnológicos, interação com e incentivo a start ups);

Pesquisa/Prospecção Mineral (investimentos em programas de pesquisa/prospecção mineral; avanços e resultados em pesquisas geológicas e desenvolvimento de modelos geológicos, com significativa contribuição à atividade de prospecção no país; descoberta de novos depósitos minerais no Brasil com viabilidade econômica potencial); 

Crescimento (investimentos em aumento da produção - expansão e novas unidades produtivas; agregação de valor aos produtos, avanço na cadeia produtiva; abertura de novas minas).

Considerando-se esses critérios, os membros do Conselho Consultivo de Brasil Mineral escolheram as empresas que comporão a lista das indicadas para integrar a cédula que será submetida à votação do público, que é a seguinte: 

 

Governança Ambiental

Anglo American Minério de Ferro Brasil (Utilização energias renováveis; aproveitamento de rejeitos)

AngloGold Ashanti (Programa de descaracterização de barragens e disposição a seco de rejeitos, com investimentos de 1,6 bilhão)

CBA (Recuperação de áreas mineradas de bauxita, deixando o solo com maior produtividade; Programas Legado Verdes e Legado das Águas) 

Embu (Aproveitamento de rejeitos – Areia de brita e descaraterização de barragens)



Governança Social

Aura Apoena (Projetos em prol do empreendedorismo em Pontes e Lacerda)

Mineração Caraíba (Abastecimento de água para população no semi-árido, apoio às comunidades durante a pandemia e programa de fomento à caprinocultura)

Nexa Resources (Programa de formação profissional para a população de Aripuanã-MT e inserção de mulheres na força de trabalho)

Sigma Lithium (Programa de apoio a comunidades no Vale do Jequitinhonha) 



Inovação e tecnologia 

CBMM (Pesquisas em novos usos para o nióbio e prêmio CBMM de tecnologia)

Mineração Serra Verde (Desenvolvimento de rota de processo menos poluente e de menor custo para aproveitamento de terras raras) 

Sigma Lithium (Adequação de tecnologia para o minério de lítio explorado no Brasil, visando atendimento exclusivo de mercado) 

Vale (programa de automação de equipamentos móveis) 



Pesquisa e Prospecção Mineral 

Anglo American (Programa de prospecção na província Alta-Floresta)

CBPM (Programa de busca de novas jazidas e geração de novos empreendimentos) 

EDEM (Descoberta e desenvolvimento da bauxita de Barro Alto, fosfato no Mato Grosso do Sul, Rocha fosfática, ouro e sheelita no RN)

Mineração Caraíba (Investimentos em prospecção no Vale do Curaçá)

 

Crescimento

Appian Brasil (Conclusão projeto Serrote e projeto expansão da Atlantic Nickel)

Bamin (Investimento na Fiol, Porto Sul e Projeto Pedra de Ferro) 

Ero Copper (Projeto Boa Esperança no Pará, expansão na NX Gold e expansão na Mineração Caraíba)

Galvani (Projeto Santa Quitéria e expansão da produção em outras unidades) 

 

Cada leitor poderá votar em até duas empresas por categoria e a votação se encerra à meia noite do dia 22 de outubro.

Para votar, acesse: www.empresasdoano.com.br