14/01/2021
SIDERURGIA

WSA acredita na retomada em 2021

Edwin Basson, diretor-geral da worldsteel disse em sua mensagem de Ano Novo que 2020 foi um ano como poucos. “Enfrentamos muitos desafios e ainda enfrentaremos, pois diversas regiões no mundo passam por alguma volatilidade política, às vezes ligada à COVID-19, às vezes não.” Para o executivo, é urgente a necessidade de retornar a uma atividade humana e econômica mais normal para que a economia global possa começar a crescer novamente.

Em 2020, a China foi a única exceção, com desempenho econômico robusto, enquanto outros países e regiões tiveram um crescimento negativo. “Para este ano, a perspectiva melhorou significativamente com o desenvolvimento de vacinas para COVID-19 que, segundo todos os relatos, começarão a ser disponibilizadas em uma escala mais ampla no primeiro trimestre de 2021”, comenta Basson. 

Segundo o executivo, o Short Range Outlook (SRO) 2021 deve mostrar uma recuperação na demanda de aço próxima a 1.795 milhão de toneladas, um crescimento de 4,1% sobre 2020. Dentre todos os trabalhos que a worldsteel tem desenvolvido, Basson diz que o que mais o orgulha é o forte esforço contínuo em segurança. “Vamos manter a segurança e bem-estar de nossa equipe e comunidades como nosso valor número um - e os últimos anos mostraram uma linha de tendência contínua de queda em nossos indicadores de taxa de frequência de acidentes fatais e com afastamento”. 

Atualmente, a worldsteel finaliza um kit de ferramentas de apoio aos associados, possibilitando a autoavaliação da saúde mental e a elaboração de planos de melhoria. Em outubro de 2020, a Agência Internacional de Energia (IEA) divulgou seu Roteiro de Tecnologia de Ferro e Aço. O documento apresenta uma visão e ações prioritárias, para o setor siderúrgico, compatível com o Acordo de Paris. No Cenário de Desenvolvimento Sustentável da IEA, as emissões diretas do setor de ferro e aço devem cair mais de 50% até 2050 em relação a 2019. No mesmo caminho, a intensidade das emissões da produção de aço bruto deve cair 58%.

Em 2021, a produção de aço continua sendo uma estufa e uma atividade intensiva em energia. No entanto, a indústria do aço está empenhada em reduzir a pegada de CO2 de suas operações e produtos. “Não há uma solução única para descarbonizar nossa indústria e, portanto, estamos adotando uma abordagem paralela de três vias para permitir a transformação industrial e social”. 

Entre as ações da worldsteel para 2021 estão abordar as emissões da própria indústria, ajudar clientes a fornecer soluções inovadoras usando produtos de aço avançados e maximizar a reutilização, remanufatura e reciclagem de produtos siderúrgicos. apoiando a eficiência dos materiais e a economia circular. 

Em 2021, a worldsteel dará continuidade ao step up, processo de revisão de eficiência em todo o setor, com base em práticas líderes, que se concentra nas principais alavancas de eficiência de qualidade da matéria-prima, eficiência energética, rendimento do processo e confiabilidade do processo e lançado há dois anos. A implementação bem-sucedida da metodologia step up tem o potencial de reduzir as emissões diretas e indiretas em até 20% na planta média de siderurgia baseada em minério, e pouco menos de 50% na planta média baseada em sucata. “Todos os membros da worldsteel foram incentivados a participar do programa step up, e a ampla adoção da metodologia em nosso setor elevará o desempenho de todos os locais a níveis proporcionais aos melhores desempenhos”. O programa step up representa uma iniciativa-chave na jornada da indústria rumo às emissões líquidas zero.