05/11/2020
EMISSÕES

Vale incentiva fornecedores a divulgar GEEs

A Vale e o Carbon Disclosure Project (CDP) assinaram parceria para incentivar fornecedores da empresa a medir e reportar suas emissões de gases do efeito estufa (GEE). Referência na elaboração de informe deste tipo, com cerca de 8,4 mil empresas associadas em 87 países, o CDP foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento do Science Based Targets Iniatitive (SBTi), que definiu os critérios científicos do Acordo de Paris para limitar as emissões globais em 2º C até o fim do século. A entidade irá avaliar as respostas de 274 fornecedores de uma base de 500 classificados como críticos em emissão de GEE da Vale e que correspondem a cerca de 30% do dispêndio global da empresa. Não estão incluídos clientes siderúrgicos e fornecedores da área de navegação. 

"Esses fornecedores aceitaram aderir de forma voluntária à plataforma do CDP Supply Chain. Nesta ferramenta, eles terão dados de gestão, governança e indicadores analisados. Com isso será possível definir riscos e oportunidades para redução de emissões", explica Fabiana Silva, responsável pela coordenação do programa Carbono da Cadeia de Valor, criado pela Vale em 2011. Os fornecedores que aderirem à plataforma terão relatórios personalizados e acesso a cursos de capacitação fornecidos gratuitamente pelo CDP. 

A parceria entre Vale e CDP tem duração de três anos. No primeiro, o objetivo é mapear as emissões dos fornecedores, encorajá-los a reportá-las e incentivar a adoção de metas de redução. No segundo ano, a intenção é medir indicadores e resultado de metas de emissões estabelecida pelos fornecedores. "Queremos também colaborar com fornecedores para identificar potenciais de redução de emissões de GEE e compartilhar boas práticas da nossa cadeia", explica Fabiana. No terceiro e último ano, a estratégia é avaliar a evolução da performance das empresas que aderiram ao programa, reportando seu progresso em relação as metas estabelecidas e, ainda, reavaliar a inserção de novos fornecedores na plataforma. 

A parceria Vale e CDP está em linha com a estratégia da empresa de se tornar uma mineradora carbono neutra em 2050. Em maio, a Vale anunciou publicamente um investimento de US$ 2 bilhões para reduzir em 33% suas emissões diretas e indiretas (escopos 1 e 2) até 2030. Os recursos serão usados ainda na restauração e proteção de 500 mil hectares de florestas. Hoje, a empresa já ajuda a manter cerca de 1 milhão de hectares, dos quais 800 mil localizados na Amazônia.

Até o fim de 2020, a Vale pretende anunciar redução ambiciosa de emissões do seu escopo 3, que inclui fornecedores e clientes. O objetivo é induzir fornecedores e, principalmente, clientes siderúrgicos, em ações voltadas à transição para uma economia de baixo carbono. Nesta linha, a Vale pretende apoiar com um cardápio de produtos menos intensivos e com uso de novas tecnologias.