16/09/2020
SIDERURGIA

Usiminas registra mais duas novas patentes

A Usiminas teve mais trabalhos patenteados pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) na Usina de Ipatinga, no Vale do Aço (MG). Um dos registros é do dispositivo para realizar a troca (montagem e desmontagem) de algaravizes dos altos-fornos. O algaraviz é um tubo por meio do qual o ar é soprado para dentro do alto-forno para que aconteça o processo de produção de gusa, matéria-prima para fabricação do aço. Antes, essa troca era realizada manualmente pelo operador. Agora, utiliza-se uma parafusadeira elétrica ou pneumática que elimina a marreta e facilita a execução da atividade. 

A segunda patente foi concedida a um sistema de ancoragem dos refratários de domos de regeneradores de altos-fornos aquecido por vapor d'água. Os regeneradores são equipamentos responsáveis pela elevação da temperatura do ar soprado dentro dos fornos e o domo é a parte superior de um regenerador. O novo sistema de ancoragem evita a necessidade de desmontagem do regenerador, permitindo a troca dos refratários somente da parte inferior cilíndrica dos fornos, cuja execução é mais simples, mais rápida e mais segura, eliminando o risco de queda de materiais. Além disso, o sistema tem prazo de execução e o custo bem menores do que os necessários para remoção e montagem de um conjunto de tijolos de refratários. 

As duas novas patentes concedidas se somam a mais de 500 outras já conquistadas pela Usiminas. “Em 2020, já havíamos registrado três patentes, também de inventos desenvolvidos por equipes de Ipatinga. Esse trabalho de pesquisa e inovação é um diferencial competitivo importante para a companhia”, avalia Murilo Iglesias de Almeida, da Diretoria Corporativa de Pesquisa, Propriedade Intelectual e Padronização Tecnológica. Murilo ressalta que os colaboradores responsáveis pelo desenvolvimento têm seu nome no registro da patente como inventor e recebe um reconhecimento por parte da companhia.