03/09/2020
ALUMÍNIO

Uma tecnologia inovadora de reciclagem

Um método inovador de reciclagem de alumínio foi impulsionado por pesquisas que mostram as mudanças microscópicas que ocorrem quando as ligas fundidas esfriam. O pesquisador Dr. Biao Cai, da Escola de Metalurgia e Materiais da Universidade de Birmingham, usou imagens sofisticadas de raios X de alta velocidade para registrar a formação de microcristais à medida que ligas se resfriam e se solidificam, sob um campo magnético. 

Um modelo matemático foi desenvolvido por seu colaborador, Dr. Andrew Kao, da Universidade de Greenwich, para prever se os microcristais se formariam e qual seria o seu formato. O modelo previu que cristais helicoidais "semelhantes a parafusos" se formariam sob a influência de uma forte agitação magnética, e o raio-X de alta velocidade confirmou a expectativa. “Esses cristais microscópicos determinam em última análise as propriedades físicas da liga. Ser capaz de ajustar sua forma, estrutura e direção de crescimento nos permitirá aperfeiçoar os processos de fabricação e reciclagem de metais e ligas” disse Biao. 

O pesquisador já inventou uma técnica para melhorar a reciclagem do alumínio com a remoção do ferro, considerado um elemento prejudicial que pode tornar o alumínio frágil e limitar seu uso em aplicações premium, como aeronaves. 

Os métodos existentes para remover o ferro durante a reciclagem são caros ou ineficientes, mas a técnica simples e barata de Biao usa ímãs e um gradiente de temperatura para remover a contaminação do ferro.

A invenção foi patenteada pela University of Birmingham Enterprise e apoiada pelo Midlands Innovation Commercialization of Research Accelerator, que concedeu a Biao uma bolsa para construir um protótipo em grande escala.