31/03/2016
SIDERURGIA

Setor deve dispensar mais 11 mil pessoas

Segundo números do Instituto Aço Brasil (IABr) no biênio 2014/2015 o setor siderúrgico demitiu 29.740 colaboradores. A previsão é que neste 1º semestre sejam dispensados mais 11.332 trabalhadores. A expectativa é que a produção brasileira de aço bruto termine o ano com volume de 32,9 milhões de toneladas, 1% abaixo na comparação com 2015.

As vendas internas de produtos siderúrgicos devem atingir 17,4 milhões de toneladas, recuo de 4,1% na comparação com o ano passado. O consumo aparente de aço no País deve ser de 19,4 milhões de toneladas, redução de 8,8% na comparação com 2015. O setor já paralisou ou desativou 74 unidades de produção, sendo quatro altos fornos.

O cenário político-econômico atual foi determinante para que setores consumidores de aço, como automotivo, construção civil e de máquinas e equipamentos, registrassem quedas sucessivas nos resultados, encolhendo substancialmente o mercado interno de aço. Atualmente, a utilização da capacidade instalada do setor está na faixa dos 60% e o mesmo vive com excedente de capacidade internacional que ultrapassam 700 milhões de toneladas e levam a práticas desleais de comercio e preços depreciados.

Com a queda internacional do preço do aço, o faturamento em dólar caiu 3,3%, o que significa que o aumento em volume das exportações não trouxe ganhos ao setor em receita. Para o setor, é fundamental que o Governo volte a apoiar diretamente à exportação com a reintrodução ao Reintegra em patamares que compensem efetivamente os resíduos tributários.