19/02/2020
OURO

Serabi deve aumentar produção

A Mineração Serabi iniciou o comissionamento do Ore Sorter instalado no complexo Palito, no Pará. O objetivo é passar pelo Ore Sorter o minério de baixo teor obtido no desenvolvimento, que hoje vai para a planta de processamento, consumindo a capacidade da planta que poderia ser utilizada para tratar minérios de mais alto teor. 

No início de fevereiro, a empresa realizou a audiência pública para o projeto Coringa, em Novo Progresso (PA), que foi seguida de uma visita das autoridades às instalações da Serabi. Originalmente, a audiência havia sido programada para o primeiro trimestre de 2019, mas acabou sendo adiada, devido aos acontecimentos em Brumadinho (MG), em janeiro do ano passado. Devido à preocupação do público com relação às barragens de rejeito, segundo Mike Hodgson, CEO da Serabi, a empresa decidiu revisar os planos originais e optou por adotar a tecnologia de filtragem dos rejeitos e empilhamento a seco, eliminando a barragem. Quando Coringa entrar em operação a produção anual da Serabi deve evoluir de 40 mil onças para 70 mil onças. 

O CEO disse que em Palito a empresa está minerando depósitos satélites de alto teor mas estreitos e, embora a lavra esteja sendo realizada da forma mais seletiva possível, ainda há um volume significativo de diluição de rochas residuais na alimentação das plantas. Assim, o foco tem sido eliminar os rejeitos da alimentação do minério antes que eles cheguem ao circuito de moagem, o que é possível através da triagem de minério. Com isso, há um aumento no teor de alimentação do minério que entra no circuito de moagem e no restante da planta de recuperação de ouro, além de liberar a capacidade da planta, que pode ser absorvida com a alimentação adicional de minério. A empresa acredita que com as mudanças na alimentação a produção anual da planta de processamento em Palito pode chegar a 50 mil onças.

Veja também