06/10/2020
EMPREENDEDORISMO

RHI Magnesita investe em dois estados

Segundo o Sebrae, muitos brasileiros têm buscado o empreendedorismo social como solução para o desemprego e falta de renda nos últimos meses, agravada pela pandemia COVID-19. Já são 680 mil autônomos regularizados como microempreendedores individuais (MEIs) apenas entre março e agosto deste ano. Nas pequenas comunidades, essa realidade se torna ainda mais evidente, inclusive com a multiplicação dos nano empreendedores, pessoas que conduzem pequenos negócios, desde uma costureira ao vendedor de sanduíches de rua, por exemplo, e muitas vezes nem se consideram empreendedores. 

Para ampliar o acesso ao conhecimento e ferramentas, para que esses empreendedores populares alavanquem seus negócios, a RHI Magnesita, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC) investiu R$ 60 mil para levar até comunidades da Bahia e Minas Gerais o projeto social Movimento Pra Frente. “Trata-se de uma iniciativa de capacitação e fomento ao empreendedorismo direcionada aos pequenos negócios, que acontecerá por meio do ambiente virtual, de forma gratuita. Serão cerca de dois meses (30h/aula) de duração do projeto e parte do valor investido será revertido em incentivo financeiro para os participantes ativos” explica Lucilla Soledade, coordenadora de projetos sociais da RHI Magnesita.

Ao todo, o projeto atenderá 30 nano empreendedores residentes das cidades de Brumado (Bahia), Contagem e Uberaba (Minas Gerais). Os interessados poderão se inscrever até o dia 09 de outubro e os únicos requisitos solicitados são que o nano empreendedor possua celular smartphone e acesso à internet.

O conteúdo será ministrado pela FDC e os empreendedores terão ainda o suporte de 90 “decoladores”, profissionais voluntários da RHI Magnesita e FDC, que irão acolher e acompanhar de perto o desenvolvimento dos empreendedores. “Os decoladores são uma peça fundamental do projeto, pois irão não só auxiliar esses “alunos”, como também vão ajudar a mantê-los engajados e confiantes no processo. Ao mesmo tempo, esses profissionais estão tendo a oportunidade de desenvolver habilidades socioemocionais, como empatia e escuta, ativa por exemplo, além de pensamento crítico e mentoria”, explica Lucilla.

A iniciativa é um desdobramento do projeto Costurando Amor, iniciado pela RHI Magnesita durante a pandemia. A iniciativa estimulou a produção de máscaras, por meio de apoio financeiro a costureiras nas cidades de Brumado, na Bahia e Contagem, Minas Gerais, contribuindo para que muitas tivessem uma fonte de renda durante a pandemia. As portas abertas pelo projeto significaram o primeiro passo para uma mudança de vida de muitas delas, que agora poderão dar um passo a mais com o projeto Pra Frente oferecido pela empresa. “Queríamos seguir frutificando esse trabalho social, indo além do assistencialismo pontual, mas ampliando a visão deles de futuro e o Pra Frente veio exatamente de encontro a isso. Além das costureiras que já estão conosco, teremos vagas abertas para outros membros das comunidades, alcançando também outros tipos de nano empreendedores autônomos”, finaliza Lucilla Soledade. As inscrições devem ser feitas pelo  https://forms.gle/zRhFJ6bCdqBFfweq8