24/03/2020
NEXA

Reservas somam 118 milhões t em 2019

A Nexa Resources anunciou que as estimativas de reservas minerais provadas e prováveis totalizavam 118 milhões de toneladas em 31 de dezembro de 2019, contendo 3.992 mil t de zinco, contra 120 milhões de toneladas com 4.449 mil t de zinco um ano antes. A redução aconteceu pelo esgotamento da produção da mineração e substituição de reservas resultantes de perfurações. O inventário mineral de fim de ano da Nexa para 2019 também reflete as mudanças no refino contínuo de sua modelagem geológica. 

Os recursos minerais medidos e indicados somaram 638 milhões de toneladas em 2019 (642 milhões de toneladas em 2018). O projeto peruano de Cerro Lindo reduziu as reservas minerais de 861 mil t para 611 mil t de zinco, de 2018 para 2019. A queda tem como motivo o esgotamento da mineração no ano passado e um novo modelo de blocos de recursos minerais com base na revisão da continuidade geológica e com critérios mais rigorosos para esterilizar áreas não-mineráveis, como aquelas com condições difíceis do solo, pilares sem recuperação ou proteção da infraestrutura. 

A mina de Vazante, no Brasil, registrou reservas minerais de 1,745 mil t de zinco em 2018 e caiu para 1.595 mil t  no final do último ano pelo esgotamento na mineração, e pela substituição parcial de uma nova campanha de perfuração da Nexa, de aproximadamente 80,9 km  durante o mesmo período. Já o projeto Aripuanã aumentou as reservas minerais de 876 mil t para 1.447 mil t de zinco entre 2018 e 2019 por conta das novas perfurações e da adição dos recursos minerais inferidos do depósito de Babaçu. 

O outro projeto peruano, de Hilarión, teve as reservas reduzidas de 4.029 mil t, em 2018, para 2.975 mil t de zinco em 2019, em razão das alterações no valor de corte do NSR, nova metodologia de relatório em forma de recursos, que inclui todo o material de cada forma de recurso e espessura mínima de três metros.