22/04/2020
VALE

Produção de minério abaixo do previsto

A Vale anunciou que, no geral, a produção do primeiro trimestre teve impacto limitado devido à pandemia do COVID-19. Entre eles, a mineradora interrompeu temporariamente as operações no Terminal Marítimo de Teluk Rubiah, na Malásia, sem impacto na produção; reduziu sua operação de mineração em Voisey's Bay (Canadá) e a colocou em regime de care and maintenance por um período inicial de quatro semanas, posteriormente estendendo por até três meses adicionais, com um impacto de até 6 kt de produção de concentrado de cobre no primeiro semestre de 2020 e decidiu adiar planos para a manutenção da planta de processamento de carvão (reforma) em Moçambique.

No primeiro trimestre, a produção de minério de ferro atingiu 59,6 milhões de toneladas, abaixo das diretrizes de produção (guidance) de 63 a 68 milhões de toneladas para o período. As principais causas para este resultado, segundo a Vale, são as perdas de 4,5 milhões de toneladas no Sistema Norte para manutenção não programada no transportador de correia de longa distância em S11D, condições climáticas mais severas e concentradas do que o habitual, especialmente em março, e restrições operacionais em Serra Norte, relacionadas à postergação no start-up da nova frente de lavra de Morro 1; as perdas de 1,8 milhão de toneladas por menores compras de terceiros, devido à menor disponibilidade causada pelas fortes chuvas no sudeste do Brasil e perdas de 2,1 milhões de toneladas por questões operacionais no Sistema Sudeste, principalmente no Complexo de Itabira. 

A produção de níquel acabado somou 53,2 mil t, uma queda, em bases trimestrais, de 6,2%, devido principalmente, à sazonalidade e à rotina de manutenção programada no site de PTVI e na refinaria de Matsusaka no trimestre, juntamente com menor processamento de minério oriundo das operações canadenses e indonésias pelas refinarias de Clydach e Dalian, respectivamente.

A produção de cobre acabado atingiu 94,5 mil t entre janeiro e março deste ano, 4,7% e 0,7% acima do último trimestre de 2019 e do primeiro trimestre de 2019, respectivamente, devido, principalmente, aos maiores volumes de Sossego após a parada de manutenção não programada no último trimestre do ano passado. A produção de carvão alcançou 2 milhões de toneladas no trimestre, 4,6% superior à do quarto trimestre de 2019, com a produção de março atingindo 918 mil t (taxa anualizada de 11 Mt) devido ao melhor desempenho mina-usina, apesar dos efeitos climáticos no primeiro trimestre.

Para o futuro, a Vale espera um impacto mais significativo em suas operações por causa do aumento potencial nos níveis de ausência em seus sites de produção, caso seja necessário ampliar as medidas de segurança para proteger seus empregados, além de um crescimento de contágio nas localidades em que opera. A mineradora prevê também o adiamento de paradas de manutenção programadas nas plantas de Metais Básicos, devido a restrições de segurança; e em razão de restrições potencialmente mais severas, impostas pelas autoridades para combater a pandemia COVID-19, que podem restringir seu contingente mínimo de mão-de-obra. 

A Vale aumentou suas medidas de segurança para salvaguardar seus funcionários. Desde a metade de março, a companhia implementa ações, como regime de home office para a grande maioria de seus empregados e de terceiros com funções administrativas; comunicação para toda a companhia sobre o plano de resposta e os procedimentos de prevenção; redução do número de pessoas nos sites operacionais e nos ônibus, para permitir um distanciamento seguro; suspensão de todas as obras civis não essenciais nos sites; medição por varredura de temperatura corporal nas entradas dos sites; implementação de checklists diários e monitoramento contínuo de possíveis sintomas para toda a força de trabalho. 

Revisão da produção para 2020

A Vale reviu a produção de finos de minério de ferro para 2020 para algo entre 310 e 330 milhões de toneladas, enquanto a de pelotas deve ficar entre 35 e 40 milhões de toneladas. 

Já a produção de níquel, excluindo Vale Nova Caledônia, somará entre 180.000 e 195.000 toneladas em 2020, enquanto a produção de cobre registrará algo entre 360.000 e 380.000 t em 2020. A Vale informa também a descontinuidade das projeções de produção e de custos do segmento de carvão para os anos de 2020, 2021, 2022 e 2023.

A Vale esclarece que as informações representam uma mera estimativa, dados hipotéticos que de forma alguma constituem promessa de desempenho por parte da Vale e/ou de seus administradores. As projeções envolvem fatores de mercado alheios ao controle da Vale e, dessa forma, podem sofrer novas alterações. Adicionalmente, a Vale informa que reapresentará oportunamente o item 11 de seu Formulário de Referência, no prazo previsto na Instrução CVM nº 480, de 7 de dezembro de 2009, conforme alterada.

Veja também

11/08/2020
LOGÍSTICA | Bahia reclama de processo da FIOL
06/08/2020
MINÉRIO DE FERRO | Exportações menores no semestre
06/08/2020
BRUMADINHO | Reparação continua, mesmo na pandemia
03/08/2020
TRANSPARÊNCIA FISCAL | Vale divulga primeiro relatório anual
28/07/2020
NOVA CALEDÔNIA | Vale prorroga prazo para venda