30/10/2019
USIMINAS

Produção da Musa cresce 29%

A Usiminas encerrou o 3º trimestre com Ebitda Ajustado Consolidado de R$ 441 milhões e margem Ebitda de 11,5%. Na comparação com os três meses anteriores, os resultados indicaram R$ 576 milhões e 16%, respectivamente. A companhia registrou prejuízo de R$ 139 milhões, devido, principalmente, à variação cambial. A desvalorização do real frente ao dólar atingiu 8,7% no período, gerando perdas cambiais de R$ 286 milhões no trimestre, contra ganhos cambiais de R$ 17 milhões no 2º trimestre deste ano.

A produção de aço bruto na usina de Ipatinga atingiu 834 mil toneladas no trimestre e as vendas totais de laminados somaram 1 milhão de toneladas, ambas estáveis em relação ao trimestre anterior. Entre os destaques estão o crescimento no volume de produção da Mineração Usiminas (Musa) para 2,3 milhões de toneladas ou 29% a mais que no trimestre passado. “A economia brasileira segue em processo de recuperação, mas muito aquém das expectativas. Ainda assim, mantivemos nossa previsão de investimentos para 2019, da ordem de R$ 800 milhões, e seguimos confiantes na recuperação da economia e na força do nosso time para superar esses desafios”, disse o presidente da Usiminas, Sergio Leite. 

O Capex da Usiminas no trimestre totalizou R$ 140 milhões, uma elevação de 33% em relação aos três meses anteriores, de R$ 105 milhões. Os investimentos foram direcionados, principalmente, a sustaining capex, segurança e meio ambiente, divididos em 83% para a unidade de Siderurgia, 16% para a Mineração e 1% para a unidade de Transformação do Aço, aproximadamente. A dívida bruta consolidada da Usiiminas encerrou o trimestre em R$ 5,9 bilhões, elevação de 7,1% na comparação com o trimestre encerrado em 30 de junho. Ainda sobre a dívida, a companhia realizou uma emissão de debêntures de R$ 2 bilhões, destinados ao pré-pagamento de credores. Além disso, a Usiminas liquidou mais uma parcela do seu compromisso com os bancos, de R$ 751 milhões, com recursos recebidos de empréstimo compulsório concedido à Eletrobrás. 

Na área de Mineração, a Musa teve um Ebitda Ajustado estável da ordem de R$ 188 milhões no trimestre, com margem Ebitda de 33,9%, contra 43% no trimestre anterior. Apesar do aumento de 25,8% na receita líquida no trimestre (R$ 555 milhões) comparado com o segundo (R$ 441 milhões), a margem refletiu o impacto do aumento nos preços dos fretes internacionais e nos menores prêmios pagos pelo minério de ferro no período.

A Soluções Usiminas, empresa que atua nos mercados de distribuição e processamento do aço, teve um Ebitda Ajustado de R$ 32 milhões no período, contra R$ 37 milhões do trimestre anterior, uma queda de 15% atribuída, principalmente, à elevação dos custos. A margem Ebitda ficou em 3,2% no 3T19, contra 4% no período anterior. Já na Usiminas Mecânica, que tem foco na produção de bens de capital sob encomenda, o Ebitda Ajustado ficou negativo em R$ 6 milhões, contra R$ 1 milhão positivo no 2º trimestre deste ano. A margem Ebitda no período foi de 4,6% negativa, contra 0,8% positiva no segundo trimestre.

Veja também