22/07/2020
VALE

Produção cresce 5% no trimestre

A Vale registrou produção de 67,6 milhões de toneladas de finos de minério de ferro no segundo trimestre de 2020, um crescimento de 5% na comparação com o mesmo período do ano passado. Apenas em junho, a mineradora produziu 25,1 milhões de toneladas, um aumento de 23% em relação à média dos cinco meses anteriores. O S11D atingiu um run-rate de 91 Mtpa em junho, que provavelmente melhorará na segunda metade do ano, em direção a uma produção anual ligeiramente acima de 85 milhões de toneladas. No entanto, a produção da Vale foi afetada em 3,5 milhões de toneladas no trimestre principalmente pelos impactos da COVID-19; eventos não recorrentes, como manutenção de correias transportadoras de longa distância no S11D, com um impacto negativo de 2,1 Mt; (c) a parada prevista da mina de Fazendão em fevereiro, devido ao esgotamento da área de mineração licenciada, planejada para reiniciar as operações durante o terceiro trimestre, com uma produção média mensal de 400 mil toneladas no restante do ano. 

O guidance da Vale para a produção de finos de minério de ferro em 2020 permanece inalterado em 310-330 milhões de toneladas, assumindo que a extremidade inferior do guidance é o cenário mais provável. Os marcos para alcançar o guidance incluem: (a) produção próxima a 200 Mt em 2020 no Sistema Norte, que inclui a produção na Serra Norte próxima ao 2S19, um sólido desempenho no S11D e o reinício da Serra Leste; (b) melhorias operacionais no Complexo de Itabira, que foi impactado por manutenção no 1T20 e pelo COVID-19 no 2T20; (c) a retomada do site de Fazendão no 3T20.

O guidance da Vale para produção de pelotas em 2020 foi revisado de 35-40 Mt para 30-35 Mt, devido principalmente: (a) a ajustes de produção que refletem a disponibilidade de pellet feed no site de Itabira; (b) ao adiamento da retomada da planta de pelotização de Vargem Grande para 2021; (c) à menor demanda do mercado. O volume de vendas de finos de minério de ferro e pelotas, com um prêmio de US$ 7,5/t, atingiu 61,6 Mt no 2T20, 8% abaixo da produção, principalmente devido ao lead time de logística entre produção e vendas CFR, com parte da produção do 2T20 em movimento para venda no próximo trimestre. 

A produção de níquel acabado atingiu 59,4 kt no trimestre, principalmente devido ao forte desempenho nas refinarias do Atlântico Norte; ao aumento da produção nos sites de Matsusaka e PTVI após manutenção de rotina no primeiro trimestre de 2020, compensada pelo menor minério de origem indonésia processado em Clydach; à maior produção de minério de origem em VNC. A produção de cobre atingiu 84,5 kt no trimestre, principalmente devido aos impactos do COVID-19. O negócio de cobre está no caminho de atingir o guidance de produção de 360-380 kt previsto para 2020, com um desempenho mais forte esperado no segundo semestre nas operações do Atlântico Sul, devido ao final da estação chuvosa no Brasil e à retomada das operações de Voisey's Bay.

Revisão das projeções para minério e pelotas 

A Vale atualizou em seu relatório de produção e vendas do segundo trimestre de 2020 as projeções para produção de sua operação de minério de ferro em S11D. Inicialmente prevista para 90 milhões de toneladas, o projeto no Pará deve produzir 85 milhões de toneladas neste ano. Já produção de pelotas – inicialmente projetada entre 35 e 40 milhões de toneladas – foi revista para algo em torno de 30 a 35 milhões de toneladas para 2020. 

A mineradora comenta que as novas projeções são uma mera estimativa, dados hipotéticos que de forma alguma constituem promessa de desempenho por parte da Vale e/ou de seus administradores. As projeções apresentadas envolvem fatores de mercado alheios ao controle da Vale e, dessa forma, podem sofrer novas alterações.