28/07/2020
AÇO

Produção brasileira cai quase 18%

O Instituto Aço Brasil (IABr) divulgou que a produção brasileira de aço bruto somou 2,1 milhões de toneladas em junho de 2020, uma queda de 27,9% em relação ao mesmo mês de 2019. A produção de laminados caiu 15,5% e somou 1,5 milhão de toneladas em junho, enquanto a produção de semiacabados para vendas foi de 713 mil toneladas, 15,8% inferior ao mesmo mês de 2019. As vendas internas totalizaram 1,6 milhão de toneladas em junho, 1,8% a menos na comparação com o mesmo mês de 2019. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,7 milhão de toneladas, 0,3% inferior ao apurado no mesmo período de 2019.

As exportações de junho foram de 1,1 milhão de toneladas e US$ 479 milhões, o que resultou em redução de 2,1% e de 30,2%, respectivamente, na comparação com o mesmo mês de 2019. As importações de junho de 2020 foram de 190 mil toneladas e US$ 182 milhões, o que representa um acréscimo de 13,4% em quantum e de 0,9% em valor na comparação com o registrado em junho de 2019.

A produção do semestre somou 14,2 milhões de toneladas, uma queda de 17,9% frente ao mesmo período de 2019. A produção de laminados foi de 10,0 milhões de toneladas, queda de 13,7% em relação ao registrado no mesmo acumulado de 2019. A produção de semiacabados para vendas totalizou 4,0 milhões de toneladas até junho de 2020, uma redução de 12,2% na mesma base de comparação. As vendas internas foram de 8,3 milhões de toneladas no primeiro semestre do ano, uma retração de 10,5% quando comparada com o apurado em igual período do ano anterior.

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 9,3 milhões de toneladas até junho de 2020, uma queda de 10,5% frente ao registrado nos primeiros seis meses de 2019. As importações alcançaram 1,0 milhão de toneladas, 17,0% a menos frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 1,1 bilhão, uma queda de 14,7% no mesmo período de comparação. As exportações atingiram 6,1 milhões de toneladas e US$ 3,1 bilhões de janeiro a junho de 2020. Esses valores representam, respectivamente, queda de 8,1% e de 23,8% na comparação com o mesmo período de 2019.

O Índice de Confiança da Indústria do Aço (ICIA) de julho ultrapassou o patamar de 50 pontos, linha divisória entre a confiança e a falta de confiança. A volta da confiança do setor em julho se deveu, preponderantemente, aos indícios de recuperação no 2º semestre. O ICIA cresceu 15,9 pontos na comparação com o mês anterior e atingiu 62,8 pontos. Com esse resultado, o ICIA se aproxima do patamar pré-pandemia COVID-19 (70,2 pontos em fevereiro).

Atualmente, o setor opera com 48,5% de sua capacidade instalada e acredita em uma retomada gradativa, com as exportações sendo a alternativa de curto prazo para reduzir a ociosidade das empresas do setor. O maior incremento das vendas externas depende, no entanto, da recomposição do Reintegra. O restabelecimento da alíquota do Reintegra no patamar de 3% possibilitará que a indústria de transformação recupere os níveis de produção anteriores ao início da pandemia e possa aumentar a oferta de empregos qualificados no Brasil. No mercado interno, a expectativa é que projetos de infraestrutura e da construção civil sejam os principais drivers de consumo de produtos siderúrgicos, com uma retomada mais lenta dos demais segmentos consumidores, como o automotivo. 

Produção Mundial cai 6% 

Segundo a worldsteel, a produção mundial de aço bruto foi de 148,3 milhões de toneladas em junho de 2020, uma queda de 7,0% em relação a junho de 2019. Devido às dificuldades constantes apresentadas pela pandemia COVID-19, muitos dos números deste mês são estimativas que podem ser revisadas com a atualização de produção do próximo mês. No primeiro semestre, a produção de aço bruto alcançou 873,1 milhões de toneladas, uma queda de 6,0% em relação ao mesmo período de 2019. A Ásia produziu 642,0 milhões de toneladas de aço bruto no primeiro semestre de 2020, um recuo de 3,0% na comparação com o mesmo período de 2019. A China produziu 91,6 milhões de toneladas de aço bruto em junho de 2020, um aumento de 4,5% em relação a junho de 2019. A Índia produziu 6,9 milhões de toneladas de aço bruto em junho de 2020, um decréscimo de 26,3% em junho de 2019. O Japão produziu 5,6 milhões de toneladas de aço bruto em junho de 2020, queda de 36,3% em junho de 2019. A produção de aço da Coréia do Sul em junho de 2020 foi de 5,1 milhões de toneladas, 14,3% a menos do que em junho de 2020.

A União Europeia produziu 68,3 milhões de toneladas de aço bruto no primeiro semestre de 2020, uma queda de 18,7% em relação ao primeiro semestre de 2019. A produção de aço bruto da América do Norte no primeiro semestre de 2020 foi de 50,2 milhões de toneladas, 17,6% abaixo em comparação com o primeiro semestre de 2019.

A Alemanha produziu 2,5 milhões de toneladas de aço bruto em junho de 2020, queda de 27,3% em junho de 2019, enquanto a Itália produziu 1,8 milhão de toneladas de aço bruto em junho de 2020, queda de 13,0% em junho de 2019. França e Espanha produziram 800 mil toneladas de aço bruto em junho de 2020, 34,9% e 31,5% inferiores, respectivamente, ao mesmo período do último ano. 

Os Estados Unidos produziram 4,7 milhões de toneladas de aço bruto em junho de 2020, uma queda de 34,5% em relação a junho de 2019. A produção na CEI (ex-repúblicas soviéticas) é estimada em 7,9 milhões de toneladas em junho de 2020, uma queda de 5,0% em junho de 2019. A Ucrânia produziu 1,8 milhões de toneladas de aço bruto em junho de 2020, um aumento de 9,0% em junho de 2019. A produção de aço bruto da Turquia em junho de 2020 foi de 2,8 milhões de toneladas, um aumento de 4,1% em junho de 2019.