17/12/2020
AÇO

Produção brasileira cai 6,7% até novembro

O Instituto Aço Brasil (IABr) divulgou que a produção brasileira de aço bruto atingiu 28,1 milhões de toneladas de janeiro a novembro de 2020, uma queda de 6,7% frente ao mesmo período do último ano. A produção de laminados no somou 19,6 milhões de toneladas, um recuo de 6,8% em relação ao registrado nos onze meses iniciais de 2019, enquanto a produção de semiacabados para vendas totalizou 7,2 milhões de toneladas no período, uma retração de 9,7% na mesma base de comparação.

As vendas internas foram de 17,4 milhões de toneladas até novembro de 2020, um crescimento tímido de 0,3% quando comparado com o apurado em igual período do ano anterior. O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 19,2 milhões de toneladas no período, 1,2% a menos frente ao registrado no mesmo período de 2019.

As importações alcançaram 1,8 milhão de toneladas no acumulado até novembro de 2020, uma retração de 18,4% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 1,9 bilhão e recuaram 16,3% no mesmo período de comparação. As exportações atingiram 10 milhões de toneladas, ou US$ 4,9 bilhões, de janeiro a novembro de 2020, com retrações de 15,4% e 27,6%, respectivamente, sobre o mesmo período de 2019.

Apenas em novembro a produção de aço bruto foi de 3,0 milhões de toneladas, um aumento de 11,2% frente ao apurado no mesmo mês de 2019. Já a produção de laminados somou 1,9 milhão de toneladas, 9,6% superior à registrada em novembro de 2019 e a produção de semiacabados para vendas foi de 709 mil toneladas, uma queda de 9,6% em relação ao ocorrido no mesmo mês de 2019.

As vendas internas avançaram 12,9% e atingiram 1,8 milhão de toneladas no mês. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 2,0 milhões de toneladas, 16,1% superior ao apurado no mesmo período de 2019. As exportações foram de 514 mil toneladas em novembro de 2020, ou US$ 299 milhões, quedas de 52,8% e 45,1%, respectivamente, na comparação com novembro de 2019. As importações foram de 199 mil toneladas e US$ 195 milhões, uma alta de 55,3% em quantum e 24,6% em valor na comparação com o registrado em novembro de 2019.

O presidente executivo do IABr, Marco Polo de Mello Lopes, disse que 2020 foi surpreendente para todos e, na indústria brasileira do aço, não foi diferente. “Começamos 2020 com a expectativa de que esse seria, enfim, o ano da recuperação da atividade econômica no País. Mas ainda no 1º trimestre, a pandemia do COVID-19 parou o mundo”.

A expectativa do setor é de que em 2021 as vendas internas aumentem 5,3%, e o consumo aparente de produtos siderúrgicos 5,8%, em comparação com 2020. O cenário positivo baseia-se na expectativa de um maior consumo de aço na construção civil, nas obras de infraestrutura, e uma maior participação da indústria nacional no setor de óleo e gás e energia renovável.