07/11/2019
NEXA RESOURCES

Prejuízo de US$ 171 mi no trimestre

A Nexa Resources obteve receita líquida consolidada de US$ 563 milhões no 3º trimestre de 2019, montante inferior aos US$ 595 milhões do mesmo período de 2018. O Ebitda ajustado caiu de US$ 120 milhões (2018) para US$ 58 milhões na comparação trimestral. O prejuízo líquido totalizou US$ 171 milhões, US$ 1,13 por ação, no trimestre, enquanto a dívida líquida em relação ao Ebitda ajustado nos últimos doze meses ficou em 1,4x. Em relação a alocação de capital, a Nexa reduziu as despesas de desenvolvimento de projetos de US$ 53 milhões para US$ 35 milhões, mantendo o guidance de despesas de capital em US$ 420 milhões.
 
A produção de zinco somou 97 mil t, um aumento de 8% em relação ao 3º trimestre de 2018 devido à maior produção em Cerro Lindo e Vazante. Em outubro de 2019, a Nexa concluiu a aquisição da Karmin Exploraton Inc. por um preço agregado de aquisição de US$ 70 milhões. Como resultado, a Nexa e suas afiliadas possuem 100% do Projeto Aripuanã. No trimestre, a Nexa Peru e Nexa Cajamarquilla assinaram um novo contrato de energia com a Electroperú, por sete anos. A partir de janeiro de 2020, o contrato prevê fornecimento anual de 240 MW com economia potencial de até US$ 50 milhões (durante a vigência do contrato) em comparação com as condições existentes.
 
O relatório técnico atualizado para a avaliação econômica preliminar do projeto Hilarión é aguardado até o final deste ano, bem como um relatório técnico atualizado sobre Cerro Lindo. A Nexa revisou cronograma para o projeto Magistral e o novo relatório técnico do estudo de pré-viabilidade deve ser concluído no início de 2020. Para 2019, a Nexa reduziu em 15 mil t o guidance para a produção de zinco, por causa do reparo contínuo de equipamentos na mina de Vazante. O guidance vendas permanece inalterado. 
 
As obras do projeto Aripuanã continuam avançando e 66% do investimento total já foi comprometido. O progresso físico do projeto atingiu 18% no trimestre. Já o projeto de empilhamento a seco de Vazante está concluído e em operação. A conversão do processo Jarosite em Cajarmaquilla (Peru) foi atrasada devido a problemas com contratados da empresa. A conclusão está prevista para o 1º semestre de 2020. Como resultado, a produção de fundições não será reduzida no último trimestre de 2019. 
 
“O 3º trimestre mostrou-se desafiador, já que o preço médio do zinco caiu 15% em relação ao trimestre anterior, o que impactou diretamente os resultados da companhia”, disse o CEO da Nexa Resources, Tito Martins. Segundo o executivo, a produção de minas registrou recuperação e fez com que a Nexa tivesse um efeito positivo em seus custos. Martins comentou que a Nexa irá reduzir as despesas no desenvolvimento de projetos, a fim de priorizar os investimentos em iniciativas de eficiência operacional para preservar e melhorar resultados. “Estamos confiantes de que a Nexa tem uma posição diferenciada e continuamos buscando a criação de valor para todos os nossos stakeholders, melhorando nossas operações e entregando nossos projetos de crescimento”.