22/09/2020
CSN

Plano de negócios prevê R$ 33,1 bilhões

O Conselho de Administração da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) aprovou novo plano de negócios da controlada CSN Mineração S.A (CMIN), tendo em vista projetos de expansão para exploração completa do potencial de suas reservas e recursos. 

O plano prevê o aumento da capacidade de produção de minério de ferro das atuais 33 milhões t/ano para 108 milhões t/ano até 2033, além de melhorar a qualidade do produto da média atual de 62% de teor de ferro para 67%, o que envolverá investimentos totais da ordem de R$ 33,1 bilhões.

Serão basicamente quatro projetos: 1) Expansão da Planta Central, acrescentando 6 milhões t/ano à capacidade de produção de pellet feed, com investimento de R$ 1,2 bilhão ao longo de três anos; 2) Recuperação de rejeitos das barragens de Pires e Casa de Pedra, o que permitirá a recuperação de 180 milhões t de rejeitos, acrescentando 8 milhões t anuais à capacidade de produção atual, com investimentos de R$ 1,1 bilhão ao longo de cinco anos; 3) Projetos de Itabirito, com instalação de novas plantas ou expansão de plantas atuais, para produção de pellet feed premium com baixo grau de impurezas e alto teor de ferro (inclusive pellet feed de redução direta). Estes projetos agregarão 103 milhões t/ano de capacidade e o investimento previsto é de R$ 22,7 bilhões, a serem desembolsados até 2033; 4) Expansão do Tecar (Terminal de Cargas), a fim de suportar as expansões na mina. O acréscimo de capacidade será feito de forma escalonada (60, 84 e 130 milhões t/ano), com investimento de R$ 6,3 bilhões a serem desembolsados ao longo de oito anos.  

O Conselho de Administração também autorizou os diretores da companhia a adotar as medidas necessárias para a realização de oferta pública inicial de ações de emissão da CMIN com o objetivo de financiar parte do plano de negócios, além de criar valor para seus acionistas. 

Ebitda de R$ 9,75 bi para 2020

A CSN informa ainda aos acionistas e mercado em geral que planeja atingir aproximadamente R$ 9,75 bilhões de EBITDA ajustado no fechamento do balanço anual de 2020, aproximadamente 2.99x Divida Liquida/EBITDA ajustado no fechamento do balanço anual de 2020 e cerca de R$1,50 bilhão de CAPEX no final do ano.

Veja também