05/03/2020
INDÚSTRIA 4.0

MRN investe em tecnologias no Pará

A Mineração Rio do Norte (MRN) está investindo em novas tecnologias alinhadas à Indústria 4.0 para priorizar a automação de processos e linha de produção no distrito de Porto Trombetas, em Oriximiná (PA). Uma das tecnologias é a de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento que utiliza imagens de satélites e de drones em alta resolução para a investigação e delineamento de alvos exploratórios. “Por meio destas ferramentas são mitigadas eventuais entradas em zonas não mineralizadas, reduzindo a quantidade de equipamentos e a exposição de pessoas na frente de trabalho, controlando e reduzindo riscos operacionais”, comenta Marco André Monteiro, gerente de Departamento de Geologia e Planejamento de Longo Prazo da MRN. 

Segundo a empresa, entre os benefícios da tecnologia de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento estão a delimitação com maior precisão dos platôs existentes, estabelecendo limites para modelamento dos recursos e suporte na elaboração dos planos de lavra. “A tecnologia ainda identifica alvos exploratórios, com potencial de incorporar novos recursos e prolongar a vida útil da operação, com geração de valor e oportunidades, tornando a empresa mais atrativa e competitiva”, relata Marco André Monteiro. 

Outras tecnologias são o Georradar portátil terrestre, que auxilia no mapeamento, controle de lavra e orientação da sondagem, além de aprimorar o modelo geológico, com maior previsibilidade e precisão na definição dos contatos (estéril e minério). Os resultados proporcionam novas formas de realizar os processos da lavra e recuperação de áreas, com redução de custos operacionais. Outra novidade é o Sistema automatizado para coleta e uso de dados geológicos – ele aumenta a integridade do banco de dados com a padronização, precisão e rapidez na coleta de informações das equipes de geologia e planejamento. Anteriormente, este trabalho era manual, demandava maior tempo e tinha menor confiabilidade.