02/04/2020
EQUINOX

Meta de 680 mil onças de ouro em 2020

A Equinox Gold anunciou que a produção deverá ficar entre 540 mil e 600 mil onças de ouro e custos de US$ 1.000 e US$ 1.060 por onça. Os guidances para a minas de Los Filos, Fazenda, RDM e Pilar refletem as expectativas de produção de 10 de março de 2020, data de fusão com a Leagold Mining Corporation. 

Incluindo a Leagold, a produção total consolidada para 2020 deve ficar entre 615 mil e 680 mil onças de ouro. “A Equinox teve outro grande ano de crescimento, com avanços para produção na mina de Aurizona, início da construção na mina Castle Mountain e o anúncio de fusão com a Leagold”, disse Christian Milau, CEO da Equinox Gold. O executivo espera que a fusão ajude a triplicar a produção anual de ouro em 2020 e aumente a produção nos próximos dois anos para mais de 1 milhão de onças de ouro anualmente. A Companhia pode revisar as orientações durante o ano para refletir alterações nos resultados esperados, incluindo efeitos relacionados à pandemia do COVID-19. 

A mina mexicana de Los Filos produziu um total de 200.856 onças de ouro em 2019. A produção para este ano pós-fusão é estimada entre 170 mil e 190 mil onças de ouro, com custos entre US$ 1.000 e US$ 1.050 por onça de ouro vendida. A Companhia avança na expansão do complexo de minas de Los Filos, que inclui a ampliação do poço aberto de Los Filos, desenvolvimento de uma segunda mina subterrânea (Bermejal), a adição do porto aberto de Guadalupe e a construção de uma nova planta de lixiviação para minério de alto teor. 

A Leagold iniciou projeto de expansão no terceiro trimestre de 2019, concluindo uma estrada de acesso para permitir o início da remoção do porto aberto de Guadalupe e iniciou trabalho de ventilação adicional para o desenvolvimento subterrâneo de Bermejal. A Equinox avalia os benefícios da planta de lixiviação maior do que a atual, de 4 mil toneladas/dia, que teria custo de US$ 115 milhões. Os estudos de trade-off serão concluídos em meados deste ano, quando a companhia passará uma atualização sobre o projeto. 

A mina de ouro a céu aberto Aurizona fica no Maranhão e foi concluída no segundo trimestre de 2019. A produção começou em 1º de julho de 2019, com volume total de 75.282 onças em 2019, incluindo onças de produção pré-comercial. A produção de Aurizona para 2020 é estimada em 115.000 a 125.000 onças de ouro com AISC de US$ 1.100 a US$ 1.150 por onça de ouro vendido. O aumento do AISC em comparação a 2019 deve-se, em grande parte, a: programação do plano da mina, com alimentação de minério em 2020 ligeiramente abaixo do nível de reserva; um programa de remoção de resíduos no poço aberto; e aumento do capital de sustentação associado ao terceiro levantamento da instalação de rejeitos.

A Equinox Gold planejou um gasto total de capital de US$ 51 milhões na Aurizona em 2020. O capital de manutenção de US$ 40 milhões refere-se principalmente à conclusão da terceira elevação da instalação de rejeitos (US$ 13 milhões) e à remoção de capitalização no poço aberto (US$ 19 milhões). Fora o investimento em sustaining, serão aplicados US$ 11 milhões iem outros itens, incluindo US$ 8 milhões alocados à exploração. 

A mina subterrânea de Fazenda, no estado da Bahia, produziu 73.228 onças de ouro em 2019 e é esperado algo entre 55 mil e 60 mil onças de ouro em 2020, enquanto na mina a céu aberto RDM, em Minas Gerais, produziu 62.634 onças em 2019. Para 2020, a mina deve produzir em torno de 50 a 55 mil onças de ouro. Já a Mina de Pilar, em Goiás, consiste em duas minas substerrâneas, e registrou produção de 37.739 onças em 2019. Para 2020, a produção estimada pós-fusão deve ficar entre 25 mil e 30 mil onças de ouro.