10/12/2020
SIGMA LITHIUM

Linha de crédito de R$ 75 milhões

A Sigma Lithium recebeu compromisso vinculante de linha de crédito de C$ 18.750.000 (o equivalente a R$ 75 milhões) do Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG) para o projeto Grota do Cirilo, localizado no Vale do Jequitinhonha (MG). A linha tem prazo de oito anos, com carência de três anos e taxa de juros flutuante anual indexado à SELIC, equivalente para 2%, mais spread de crédito, em linha com a tabela regulamentada praticada pelas instituições de desenvolvimento no Brasil. O fechamento da Linha de Crédito de Desenvolvimento está sujeito à negociação da documentação definitiva e demais condições habituais de fechamento, seguida da aprovação final do crédito para saques. 

Ana Cabral-Gardner, Chief Strategy Officer e Co-Presidente do Conselho de Administração da Sigma, afirmou: “Estamos muito satisfeitos com a atribuição da Linha de Crédito ao Desenvolvimento pelo BDMG. Isso não apenas melhorará significativamente nossa estrutura de capital devido à maior duração e período de carência, mas também solidificará o apoio do governo do Estado de Minas Gerais”. Segundo Ana, o apoio do BDMG permitirá que a Sigma aumente seu impacto transformacional no Vale do Jequitinhonha ao possibilitar que a companhia desenvolva o capital humano regional por meio de uma parceria com o SENAI para capacitação técnica, além de buscar uma iniciativa conjunta para a implantação da mineração zero resíduo atraindo para o Vale indústrias auxiliares que usam rejeitos secos da Sigma como matéria-prima. “A Sigma tem desenvolvido o projeto com uma estratégia centrada em ESG desde a sua fundação: esforçando-se para estar na vanguarda das práticas ambientais, causando impacto econômico na comunidade e mantendo um Conselho diversificado com a transparência e conformidade de uma empresa pública canadense”.  

Como resultado da recente melhoria significativa nas perspectivas para a demanda de lítio para 2022 em diante, especificamente para produtos de lítio sustentáveis e em conformidade com ESG, a Sigma adicionou uma série de fluxos de trabalho ao projeto, com o objetivo de solidificar sua liderança de mercado como um futuro fornecedor de concentrado de lítio de 6% para bateria de baixo carbono, sustentável e de alta pureza (Lítio Sustentável). Paralelamente, a Sigma desenvolve linhas de trabalho de engenharia de detalhamento de pré-construção para o desenvolvimento do depósito de Xuxa (Fase 1 do Projeto), que inclui a construção da mina de Xuxa e uma planta de produção comercial. A produção da Fase 1 de 220.000 toneladas por ano de Lítio Sustentável está prevista para o primeiro trimestre de 2022. 

No primeiro semestre de 2021, a companhia espera concluir a atualização do relatório técnico intitulado “Projeto Grota do Cirilo Lítio, Regiões Araçuaí e Itinga, Minas Gerais, Brasil, Instrumento Nacional 43-101 Relatório Técnico sobre Relatório Final do Estudo de Viabilidade” para incluir o desenvolvimento da jazida do Projeto Barreiro, contemplando produção à taxa de 440.000 toneladas por ano (Fase 2 do projeto). A Sigma espera que suas atividades de pré-construção (incluindo o EPC e "disponibilidade de contrato" dos principais fornecedores de construção) sejam concluídas durante o primeiro semestre de 2021. O início da produção da Fase 1 está previsto para o primeiro trimestre de 2022.

A abordagem estratégica da Sigma é o resultado de uma revisão completa das prioridades da empresa e visa aumentar significativamente a importância comercial e de mercado do Projeto em três frentes: produção futura, tamanho das reservas minerais e escala dos recursos minerais, tudo isso mantendo sua liderança estratégica em ESG e sustentabilidade na cadeia de fornecimento de lítio. A Sigma está trabalhando em um estudo de impacto ambiental para a fauna e flora da área da mina do Barreiro durante as estações seca e chuvosa desde o segundo trimestre de 2020. O pedido de licenciamento integrado EIA / RIMA está previsto para ser protocolado no primeiro trimestre de 2021. Devido à estratégia centrada em ESG da Sigma, a abordagem ambiental para a mina do Barreiro tem sido semelhante à da mina de Xuxa, com a seleção de antigas áreas de pastagem para pilhas de estéril e rejeitos visando a minimização geral de supressão da vegetação. Como resultado, a análise geral do ciclo de vida do projeto continuará a ser aprimorada na Fase 2, diminuindo sua pegada de carbono na mineração. A Sigma planeja iniciar a exploração de opções de financiamento para o desenvolvimento da jazida do Barreiro, incluindo a possibilidade de um parceiro estratégico.