17/09/2019
VALE

Licença para dique em Brucutu

A Câmara de Atividades Minerárias (CMI), órgão vinculado ao Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), concedeu Licença de Operação (LO) à Vale no final de agosto para que a mineradora opere um dique de contenção que integra o Complexo de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo (MG). A CMI trata de licenciamentos exclusivamente ligados à mineração.

A estrutura teve sua área de inundação ampliada nos últimos anos e a vale precisava de autorização para utilizá-lo com a nova capacidade. Com a decisão, a mineradora pode aumentar a produção de sua maior mina no estado de Minas Gerais.

O Dique de Contenção de Sedimentos (DCS) é um equipamento de controle ambiental com a função de reter as partículas sólidas da terceira Pilha de Disposição de Estéril (PDE-03) da mina de Brucutu. A Vale trabalhava com a possibilidade de aumento da capacidade de alagamento do DCS desde 2010, quando obteve as licenças prévia (LP) e de instalação (LI). O procedimento não fez modificações no maciço do dique, mas ampliou a área de inundação em quatro vezes. Já o volume de acumulação do reservatório passou dos iniciais 36,7 mil m³ para 42,5 mil m³. A ampliação do dique está diretamente ligada ao novo circuito de moagem da mina, projetada para processar e converter novamente em produto aproveitável parte dos rejeitos gerados na mina, que até então são destinados às barragens. As novas instalações incluem segundas linhas de britagem e peneiramento secundário, correias transportadoras, alimentadores, silos de regularização, peneiras vibratórias e outros equipamentos.

Segundo a CMI, o processo está em fase final de análises. Caso tudo ocorra dentro do previsto, a mina de Brucutu terá capacidade instalada para ampliar a produção dos atuais 33 milhões de toneladas de minério de ferro por ano para 57 milhões de toneladas ao ano. O processo de aumento de capacidade de Brucutu é independente do licenciamento de expansão obtido pela Vale em novembro do ano passado. Esse segundo procedimento, chamado de Cava da Divisa, ampliará a área da mina, ultrapassando a fronteira entre São Gonçalo do Rio Abaixo e Barão de Cocais. Com a expansão - as obras já estão em andamento - a mineradora pretende elevar a capacidade de produção de Brucutu para 72 milhões de toneladas de minério de ferro ao ano.

Veja também