23/10/2019
CPRM

Leilão de depósito polimetálico em TO

O Complexo Polimetálico de Palmeirópolis (TO), que foi leiloado no dia 21 de outubro, teve apenas um participante, a empresa australiana Perth Recursos Minerais Ltda, que ofereceu R$ 15 milhões em bônus e 1,71% em royalties sobre a receita bruta, na fase de produção. O grupo realizará também pesquisa complementar da área de exploração. O leilão foi uma venda inédita de ativos minerários de áreas que estão há mais de 30 anos inexploradas, sem gerar receitas para a União, porém com grande potencial. O projeto integra o portfólio de ativos do PPI/Casa Civil e foi resultado dos esforços da Companhia de Pesquisas e Recursos Minerais (CPRM) e do Ministério de Minas e Energia (MME). A área tem potencial de produção de zinco, cobre e chumbo, dentre outros minerais. São esperados investimentos da ordem de mais de R$ 255 milhões ao longo de dez anos, além da geração de 2.500 empregos. “Nós precisamos cada vez mais destravar esse tipo de agenda, ainda mais sabendo o potencial de geração de empregos e investimentos que esses ativos têm para todo o País”, disse Martha Seillier, Secretária Especial do PPI. O valor será pago em três parcelas: R$ 1,5 milhão na assinatura do contrato, R$ 6 milhões durante o período de pesquisa e R$ 7,5 milhões quando os australianos receberem a concessão de lavra. Além deste projeto, a CPRM possui outros 29 ativos minerários, sendo que outros quatro foram qualificados no PPI/Casa Civil e seguirão o mesmo caminho para gerar empregos, renda e fomentar o desenvolvimento local.

Veja também

08/08/2019
TECNOLOGIA | CPRM firma parceria com a Visiona
25/07/2019
BACIA DO SÃO FRANCISCO | CPRM lança Atlas Geoquímico em BH
13/07/2019
LEILÃO DE ÁREAS | Publicado edital para Palmeirópolis
11/07/2019
URÂNIO | CPRM fará projeto a pedido da INB
19/06/2019
DIREITOS MINERÁRIOS | Minuta do edital sobre Palmeirópolis
28/05/2019
GEOLOGIA | CPRM ajuda em novo mapa do Suriname