11/03/2020
OURO

Kinross investirá quase US$ 1 bi em Paracatu

A Kinross Gold Corporation apresentou novo relatório técnico sobre a operação de Paracatu (MG), ativo fundamental e de vida longa no portfólio da companhia e com previsão para produzir em média aproximadamente 540 mil onças de ouro por ano nos próximos 12 anos, de 2020 a 2031. Para isto está previsto um total de US$ 997,2 milhões de investimentos em sustaining ao longo desse período, com destaque para os valores de US$ 320 milhões em equipamentos móveis de mina, US$ 512,4 milhões em instalações de rejeitos, US$ 125 milhões em instalações de processamento, US$ 15,2 milhões em infraestrutura do site e US$ 8,9 milhões em Tecnologia da Informação. 
 
De acordo com o relatório, a produção total ao longo da vida útil da mina deve aumentar cerca de 24% em comparação com o relatório técnico anterior, publicado em 2014. O novo documento é baseado em um programa de otimização de ativos iniciado em 2018 e concluído no último ano, com a implementação bem-sucedida de um programa de controle de teor. 
 
Os resultados do programa incluem melhor caracterização do minério, uma capacidade aprimorada de prever e reagir à variabilidade do minério, e melhorar a eficiência da usina quanto ao rendimento e recuperação de ouro. O relatório inclui ainda programas de melhoria contínua que resultaram em taxas de mineração mais aprimoradas e ganhos de produtividade geral, adição de fontes de energias renováveis em duas usinas hidrelétricas e projeto de reprocessamento de rejeitos bem-sucedido em 2018. 
 
O desempenho de Paracatu em 2019 melhorou significativamente, devido aos programas de otimização de ativos e melhoria contínua, com a mina registrando recorde de produção anual e redução de custos nas vendas por onça em aproximadamente 20% em 2018. O novo relatório prevê reduções consideráveis nos custos operacionais ao longo da vida útil da mina e aumento de eficiência e taxas de recuperação quando comparado ao documento de 2014. 
 
O relatório indica que as instalações de depósitos de rejeitos de Paracatu atendem ou excedem as normas internacionais. As instalações construídas usam um design de linha de centro modificado e as barragens foram compactadas e divididas em zonas. Anualmente são realizados serviços de manutenção, monitoramento e procedimentos de emergência rigorosos, incluindo inspeções diárias.
 
A mina de Paracatu opera desde 1987 e até 2019 produziu um total de 8,9 milhões de onças de ouro. 
 
Gilberto Azevedo assume presidência
 
Gilberto Azevedo é o novo presidente das operações da Kinross Gold Corporation no Brasil, conjuntamente com sua atual posição de Gerente Geral da mina de ouro em Paracatu (MG). 
 
O executivo está na companhia desde 2010, quando entrou como vice-presidente e gerente geral com o desafio de atuar no aprimoramento da segurança, gestão ambiental, gestão de custos, desempenho da produção e no fortalecimento do relacionamento com a comunidade. Graduado em Engenharia de Minas, ele atua há 26 anos no setor mineral, tendo experiência nacional e internacional.

Veja também