11/03/2020
COVID-19

Investimentos diretos podem cair até 15%

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) projeta que a epidemia do novo coronavírus (Covid-19) pode levar a uma redução de investimento direto externo, nos vários países, entre 5% e 15%, segundo relatório do último dia 8 de março. 
 
Antes do Covid-19, a UNCTAD havia projetado um nível normal de investimentos para o biênio 2020/2021, com um aumento potencial de 5%. Entretanto, agora os fluxos podem atingir os níveis mais baixos desde a última crise financeira internacional 2008/2009, caso a epidemia continue ao longo do ano. O estudo aponta que o feito negativo será maior nos setores automotivo, de linhas aéreas e de energia. “Um efeito cascata pode causar um grande revés em diversas economias que tentam atrair investimentos privados necessários para alcançar objetivos de desenvolvimento sustentável”, disse o secretário-geral da UNCTAD, Mukhisa Kituyi. 
 
Das 100 multinacionais que a UNCTAD avalia como tendências de investimentos, mais de dois terços declararam que o Covid-19 impactou os negócios e muitas estão reduzindo os gastos de capital nas áreas afetadas. Até o momento, 41 empresas emitiram alerta de lucro, e estes lucros mais baixos serão reinvestidos. A maioria das revisões é de empresas voltadas ao consumidor, o que indica impacto maior na demanda do que paralisações na produção ou na cadeia de suprimentos.

Veja também

27/05/2020
BURITIRAMA | Cinco mil comprimidos para pacientes
27/05/2020
COVID-19 | Sigma ajuda Vale do Jequitinhonha
20/05/2020
GEOLOGIA E COVID-19 | A essencialidade do Serviço Geológico
20/05/2020
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL | Codelco usa tecnologia contra COVID-19
20/05/2020
ARIPUANÃ | Mais de 70 mil EPIs ao município