13/07/2015
AÇO

IABr revê produção brasileira para baixo em 2015

O Instituto Aço Brasil (IABr) reviu a projeção para produção de aço bruto para 2015. Com redução estimada em 3,4%, o Brasil deve produzir 32,9 milhões de toneladas. As vendas internas devem encerrar o ano com 18,3 milhões de toneladas, o que representa 15,6% a menos na comparação com 2014. O consumo aparente de aço no Brasil está estimado em 22,3 milhões de toneladas para este ano, o que representa retração de 12,8% em relação ao ano anterior e retorno ao patamar de 2007, que foi de 22,1 milhões de toneladas. As importações deverão atingir 4,0 milhões de toneladas, alta de 0,8% sobre 2014.
 
O cenário político-econômico atual do Brasil foi determinante para a revisão para baixo por parte da indústria siderúrgica em relação aos números de 2015, assim como os principais segmentos que consomem aço. Os setores automotivo, de construção civil e de máquinas e equipamentos, responsáveis por quase 80% do consumo de aço no Brasil, registram quedas sucessivas em seus balanços. O mercado interno se retraiu o que comprometeu ainda mais a concorrência com produtos importados, devido ao Custo Brasil. 
 
Apesar das difíceis condições do mercado internacional, por conta do elevado excedente de capacidade da ordem de 700 milhões de toneladas, as exportações vêm apresentando alta nos últimos meses por conta de operações "inter companies" de fornecimento de semiacabados para alimentar plantas na Europa e nos Estados Unidos, além de ações emergenciais do setor para evitar redução ainda maior do grau de utilização da capacidade instalada. Entre junho 2014 e junho 2015, 11,2 mil colaboradores do setor tiveram que ser dispensados, unidades de produção foram paralisadas ou desativadas e investimentos da ordem de US$ 2,1 bilhões foram suspensos.