01/12/2020
BAMIN

Grupo ERG satisfeito com avanços

A Bamin iniciou a operação comercial da Mina Pedra de Ferro no município de Caetité (BA) e continua a avançar com as obras para a construção do Porto Sul, seu grande projeto de mineração e infraestrutura. A operação da empresa aumentará a relevância econômica da Bahia, ao elevar o estado à posição de terceiro maior produtor de minério de ferro do País, com uma produção de 18 milhões de toneladas anuais do produto. “Estamos muito satisfeitos com o progresso contínuo da Bamin”, diz Benedikt Sobotka, CEO do Eurasian Resources Group (ERG), proprietária da Bamin. 

Sobotka, representantes da Bamin e o governador Rui Costa visitaram a mina Pedra de Ferro e as obras iniciais do Porto Sul, que compreendem vias, instalação de sinalização, pontes, implantação de redes elétrica e de água, entre outras ações. “Hoje é um marco para o início das obras. A ponte será a primeira edificação desse projeto e, a partir daqui, teremos todo o sistema viário que vai conectar o Porto Sul às diversas rodovias que dão acesso a essa região. Essas obras internas serão concluídas até meados de 2022. Paralelo a esse início de obras, estamos acompanhando outra obra importante. Esta semana estive com o ministro da Infraestrutura para acompanhar o processo de leilão de licitação para a conclusão da Fiol, que falta 25% das obras a serem concluídas, entre Ilhéus e Caetité”, destacou o governador, durante a visita. 

As obras iniciais da Bamin e do governo baiano no Porto Sul preveem a construção de acesso e infraestrutura ao local, etapa que irá gerar 400 empregos diretos e outros 1.200 indiretos. “O Porto Sul, além de sua importância estratégica, vai Impulsionar a economia local e apoiar a retomada de outros setores. Esperamos contribuir de forma positiva para a recuperação econômica e social neste cenário de pandemia”, analisa Benedikt Sobotka. 

A partir de dezembro, a Bamin inicia a produção comercial com capacidade de produção de dois milhões de toneladas por ano de minério de ferro com teor de 65% Fe. Quando estiver em plena produção, a mina produzirá 18 milhões de toneladas de minério por ano. “O início da operação é um passo fundamental para a plena implantação do nosso projeto, que traz benefícios econômicos para a região e para nossos acionistas”, avalia Benedikt Sobotka.