17/12/2020
LOGÍSTICA

Ferrovias da Vale têm contratos prorrogados

O Conselho de Administração da Vale aprovou os termos aditivos dos contratos de prorrogação antecipada da Estrada de Ferro Carajás (EFC) e da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) por mais 30 anos a contar a partir de 2027, quando vencem os contratos atuais. Os documentos serão assinados ainda em dezembro e estão previstos investimentos de R$ 24,7 bilhões a partir de 2021. 

Do montante total, R$ 11,8 bilhões referem-se ao pagamento da outorga pelas duas ferrovias; R$ 8,7 bilhões, para a construção da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) e R$ 3,9 bilhões para os demais compromissos, entre os quais a ampliação do serviço do Trem de Passageiro e obras de melhoraria da segurança da malha, que vão beneficiar centenas de comunidades distribuídas ao longo das duas ferrovias. Do valor da outorga, R$ 300 milhões serão usados na compra de trilhos e dormentes destinados à Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

As ferrovias Fico e Fiol irão se conectar à atual Ferrovia Norte-Sul e viabilizar a criação de corredores alternativos para o escoamento de grãos do Centro-Oeste brasileiro. Com isto, a previsão é que sejam reduzidos custos logísticos e, consequentemente, proporcionará uma maior competitividade ao produto do agronegócio brasileiro no mercado internacional. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) também avaliará a construção de um ramal ferroviário, como extensão da EFVM, com cerca de 82 km, de Santa Leopoldina a Anchieta, no litoral do Espírito Santo, sendo parte destes desembolsos elegíveis de dedução do custo total da outorga.

Veja também