11/03/2020
RECURSOS HÍDRICOS

Estudos hidrológicos em zonas de mineração

A Universidade Federal de Viçosa (UFV) realiza estudos em Miraí, Rosário da Limeira e São Sebastião da Vargem Alegre, municípios da Zona da Mata mineira, para compreender os processos hidrológicos em ambientes de mineração. Os monitoramentos e avaliações são realizados pela CBA com o objetivo de encontrar alternativas que possam melhorar a manutenção dos recursos hídricos. 
 
O gerente das unidades da CBA na Zona da Mata, Christian Fonseca de Andrade, explica que este é um programa de longo prazo e que abrange diversos projetos. "Investir nesse tipo de estudo, com foco em conservação hídrica, é importante para mostrar que, mesmo após o processo de lavra e reabilitação ambiental, o solo continua apto para plantio de várias culturas e que a área minerada mantém boa absorção de água. O projeto reforça a sustentabilidade na mineração de bauxita realizada pela CBA", afirma. 
 
Entre os destaques estão o projeto de escoamento superficial, que avalia como a água escoa sobre o solo na região – antes e depois da atividade minerária. O projeto iniciou após moradores questionarem os impactos da mineração nas nascentes d'água da região. 
 
Foram criadas metodologias e avaliações para comparar o antes e o depois da atividade minerária. Os resultados indicam redução significativa do escoamento superficial da água de chuva, favorecendo a sua infiltração no solo. O escoamento superficial em área reabilitada foi 67,45% menor sob o plantio de eucalipto, e em comparação com uma área similar houve redução do escoamento superficial em 1,75 vezes após a reabilitação. "Isso foi comprovado cientificamente e é um resultado que traz tranquilidade para nós e para a comunidade", afirma Herly Carlos Teixeira Dias, professor titular do Departamento de Engenharia Florestal da UFV, especialista em hidrologia florestal e manejo de bacias hidrográficas. 
 
Outro projeto em implementação é o de monitoramento de nascentes em áreas de mineração, a fim de determinar se a atividade gera impactos na qualidade e quantidade de água nesses locais. O projeto prevê avaliar bacias hidrográficas de cabeceira que contenham jazidas de bauxita em sua área de drenagem, com distribuição regional, abrangendo um período pré ao pós- mineração. Os resultados são apresentados à CBA, que terá informações sobre quaisquer situações de risco. O programa tem metas específicas de avaliação de diversos processos hidrológicos, tais como escoamento, infiltração, vazão das nascentes, qualidade da água, entre outros objetivos.