08/12/2020
SISMOLOGIA

CPRM e UFRN vão trabalhar em Maceió

O Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) assinaram parceria para iniciar, em breve, estudos em conjunto sobre a fonte dos fenômenos sismológicos registrados nos bairros Pinheiro, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e proximidades em Maceió (AL). 

Um grupo de pesquisadores, mestres e doutores realizarão nos próximos oito meses trabalhos com o objetivo de aprofundar as ações de prevenção de desastres na região. Ao todo são sete pesquisadores da UFRN, nove pesquisadores do SGB-CPRM e um pesquisador do Instituto Nacional de Meio Ambiente e Riscos Industriais da França (Ineris). Estão previstas atividades de campo - ainda sem datas definidas, além de workshops internos entre os pesquisadores para implantação de banco de dados sismológicos e discussão de novos estudos realizados para a região. 

O chefe do Departamento de Gestão Territorial (DEGET) do SGB-CPRM, Adelaide Mansini, afirma que a parceria com a UFRN promoverá a consolidação do conhecimento sobre o fenômeno e permitirá aos órgãos locais de proteção estabelecer premissas e protocolos para o monitoramento das áreas afetadas em caso de novos abalos, bem como ações para salvaguardar e proteger a população. Mansini diz que os estudos permitirão, ainda, a capacitação da equipe técnica do DEGET e da Divisão de Sensoriamento Remoto e Geofísica (DISEGE) nesta temática, uma vez que têm sido registrados eventos recentes de sismos induzindo a queda de blocos rochosos de encostas em áreas urbanizadas, principalmente na região Nordeste do país. "Os estudos sobre as causas dos fenômenos de rachaduras e afundamentos em bairros de Maceió foram iniciados pelo Serviço Geológico do Brasil em 2018 e as conclusões apresentadas em audiência pública em 2019. Após a etapa investigativa, seguimos em Maceió como membros do Plano de Ação Integrada instituído pela Defesa Civil Nacional, com a participação de diversos órgãos, para acompanhar o monitoramento do fenômeno e apoiar tecnicamente os órgãos municipais", destaca Adelaide Mansini. Os estudos e demais informações técnicas referentes ao trabalho do SGB-CPRM em Maceió estão disponíveis para consulta no http://www.cprm.gov.br/publique/Gestao-Territorial/Acoes-Especiais/Acao-Emergencial-no-Bairro-Pinheiro-%28Maceio%2C-AL%29-5344.html

A UFRN foi escolhida pelo SGB-CPRM devido ao domínio em sismologia e geologia estrutural, já que a instituição possui laboratórios de alta qualidade, sendo referência no país, com tecnologias que atendem aos estudos e pesquisa a serem desenvolvidos em Maceió. "A parceria entre a UFRN e CPRM é um passo importante para estreitar os laços de cooperação técnica entre as duas instituições, em particular por se tratar de um trabalho com repercussão nacional e com impacto direto no entendimento do problemas e encaminhamento de soluções que atingem a cidade de Maceió, além de ser uma plataforma para estabelecer expertise sobre danos provocados por operações de mineração de sal, ainda necessário na comunidade geocientífica do país", diz o professor doutor Anderson Nascimento, do Departamento de Geofísica da UFRN. 

Veja também