23/02/2021
AMARILLO GOLD

Construção inicia após as chuvas

Assim que terminar o período chuvoso (provavelmente em março), a Amarillo Gold deve iniciar a construção do projeto Posse, localizado em Mara Rosa, no estado de Goiás, para o qual já detém a Licença de Instalação. O projeto de ouro Posse prevê a instalação de uma mina a céu aberto e uma planta CIL (Carbon In Leach), com estocagem de rejeitos a seco. Um estudo de viabilidade concluído em junho de 2020 mostrou que Posse produzirá ouro a um custo AISC de US$ 656/onça, com base em um preço de ouro de US$ 1.730/onça e um câmbio de R$ 5.3/dólar. A mina tem vida útil inicial de 10 anos, uma produção inicial de 104 mil onças de ouro por ano e um valor presente de US$ 360 milhões, após impostos. A previsão é que a operação seja iniciada no segundo semestre de 2022. 

De acordo com o CEO da empresa, Mike Mutchler, agora que recebeu a Licença de Instalação a Amarillo está preparando um plano de execução do projeto para que a construção seja iniciada o mais rapidamente possível. Porém, a Amarillo já procura antecipar a encomenda de equipamentos que demandam mais tempo de fabricação, como britadores, moinhos e planta de filtragem. A empresa já se comprometeu a construir uma linha de transmissão ligando Porangatu a Mara Rosa, que vai beneficiar também a comunidade local. 

Paralelamente, a companhia está discutindo com potenciais investidores para viabilizar aporte de aproximadamente US$ 100 milhões que complementam os recursos necessários para a implantação do empreendimento, que está orçado em US$ 145 milhões. Um engenheiro independente está fazendo uma avaliação do estudo de viabilidade e elaborando suas recomendações de trabalhos adicionais necessários antes do início da construção. Em agosto de 2020 a Amarillo fez uma captação de US$ 57 milhões, dos quais US$ 50 milhões ainda estão em caixa. Durante a fase de construção o projeto vai gerar 700 empregos diretos e 2 mil indiretos. 

Em razão da pandemia, é possível que o trabalho de construção atrase um pouco, porque, segundo Mike Mutchler, a empresa tem consciência de que organizar um grande grupo de contratados no meio da pandemia envolve uma série de protocolos, testagem e isolamento. Porém, a expectativa é que para o segundo semestre a situação esteja um pouco melhor, devido à vacinação. 

A Amarillo também está empenhada em um plano de exploração para o qual destinou US$ 2 milhões em 2021, em Mara Rosa e também em outras áreas que detém em Lavras do Sul, estado do Rio Grande do Sul, com o objetivo de ampliar seus recursos e reservas. Em Mara Rosa, os trabalhos de perfuração já realizados bloquearam cerca de 200 mil onças em reserva e a expectativa é que os trabalhos a serem realizados em 2021 possam aumentar esse volume. Isto representaria um acréscimo de dois anos na vida útil da mina em Mara Rosa, havendo ainda possibilidade de descoberta de mais recursos subterrâneos que poderiam ser lavrados no futuro.

Veja também