01/07/2020
BRASIL-ALEMANHA

Conferência debate mineração sustentável

A Câmara de Comércio Brasil-Alemanha realizou, no dia 24 de junho, a 5ª Conferência Brasil-Alemanha de Mineração e Recursos Minerais. O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) foi representado pelo presidente Esteves Colnago, que abordou as práticas já realizadas pela empresa, além das perspectivas para os próximos anos. A conferência contou com 375 participantes.

O tema “Sustentabilidade na mineração: a reconquista da confiança por meio de governança e novas tecnologias”, discutido na conferência de 2020, é um desafio compartilhado por todos os países que caminham entre o desenvolvimento e o cuidado com seus recursos naturais. Em seu discurso de abertura, o anfitrião do evento, Manfredo Rübens, presidente da Câmara de Comércio Brasil-Alemanha, abordou a necessidade de uma discussão de alto nível. “Entendemos que para uma retomada efetiva da economia impactada pela pandemia, precisamos focar na sustentabilidade. Na Europa, e em específico na Alemanha, por exemplo, já se fala de um “reinício verde“. Como a mineração é uma atividade econômica absolutamente essencial, pré-requisito para o provimento de recursos minerais para melhorar a infraestrutura e qualidade de vida para bilhões de pessoas no mundo, é preciso não somente justificar sua existência, mas também repensá-la para se adaptar às novas exigências da sociedade”. 

O Secretário de Geologia e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Vidigal, ponderou que, do ponto de vista do Brasil, não há mineração contemporânea dissociada da sustentabilidade. “Nosso desafio é incentivar a sociedade a entender a verdadeira face da mineração como a atividade imprescindível à geração de riqueza em benefício de todos, inclusive como garantia para o futuro sustentável do planeta”. Segundo Vidigal, é a partir da mineração que se desenvolverão novos recursos tecnológicos para a oferta de energia limpa. 

Conalgo enfatizou que a essência do trabalho da CPRM é disponibilizar informações de qualidade para minimizar o risco nas primeiras fases da pesquisa mineral e, dessa forma, contribuir para o percentual de assertividade, quanto à atratividade para os investidores. Entre os trabalhos realizados pela CPRM que integram as ações sustentáveis da empresa, estão o pioneirismo nos estudos agrogeológicos, incluindo potenciais de utilização de rejeitos industriais e de mineração, como remineralizadores de solo. Conalgo citou ainda a parceria Brasil-Alemanha no projeto Biocobalto, iniciativa entre a CPRM, Anglo American Brasil, o Instituto Federal de Geociências e Recursos Naturais da Alemanha e o Centro de Tecnologia Mineral (CETEM). “O objetivo deste projeto é definir, entre os depósitos estudados, as características mineralógicas que permitam o processamento mineral do cobalto, através do processo por biolixiviação para atender à crescente demanda por minerais estratégicos, da indústria de alta tecnologia”, destacou.

O evento reuniu autoridades do Governo, especialistas e grandes executivos em uma programação com painéis sobre os desafios e perspectivas do setor. As apresentações serão disponibilizadas em breve no site da Câmara no YouTube.

Veja também

28/07/2020
SELO VERDE | Mina Tucano recebe certificado
22/07/2020
MINERAÇÃO | GMG reúne o setor brasileiro
22/07/2020
SETOR MINERAL | Faturamento de R$ 39 bilhões no trimestre
22/07/2020
POLÍTICA MINERAL | O programa do governo para a mineração
13/07/2020
SETOR MINERAL | Governo anuncia plano e metas até 2023
18/06/2020
RESÍDUOS INDUSTRIAIS | MRN reutiliza quase 99% em Trombetas