03/08/2020
NEXA

Com pandemia, receita cai 45%

A Nexa Resources obteve receita líquida consolidada de US$ 337 milhões no segundo trimestre de 2020, uma redução de 45% na comparação com o mesmo trimestre de 2019, e provocado pelos efeitos da pandemia. No período, a companhia produziu 62 mil toneladas de zinco, 32% a menos frente ao segundo trimestre de 2019, enquanto a produção de cobre totalizou 5 mil toneladas, um recuo de 44% em relação ao mesmo período do ano anterior. A produção de chumbo também registrou 5 mil toneladas, 64% inferior em relação ao mesmo trimestre de 2019. Já a venda de metais totalizou 120 mil toneladas, queda de 23%. 

No segundo trimestre, o EBITDA ajustado da Nexa somou US$ 40 milhões, contra US$ 118 milhões no mesmo período do ano passado. O resultado líquido da empresa, por sua vez, foi negativo em US$ 59 milhões no segundo trimestre de 2020, motivado principalmente pelos impactos da COVID-19 nas operações. "Apesar da suspensão temporária de nossas operações de mineração no Peru e da taxa reduzida de utilização de capacidade de nossas refinarias durante o trimestre, a dedicação de nossa equipe e as medidas de continuidade de negócios implementadas permitiram entregar uma performance operacional melhor em relação ao primeiro trimestre”, comentou o CEO da Nexa, Tito Martins. 

A Nexa reiniciou as atividades das unidades de Cerro Lindo e El Porvenir em maio, paralisadas desde março, quando foi decretado estado de emergência nacional pelo governo peruano, e a mina a céu aberto de Atacocha em junho. Desde o início da pandemia, a Nexa realiza trabalho de prevenção à COVID-19 em todas as suas unidades, além de apoiar as comunidades nas regiões onde está presente, de acordo com as necessidades locais. Já as operações brasileiras registraram rendimento recorde, enquanto a refinaria Três Marias em Minas Gerais apresentou evolução crescente em seu desempenho. “Nossa estratégia para 2020 segue focada na proteção à vida de nossas pessoas e das comunidades onde estamos presentes, na preservação da geração de caixa, na redução de custos e de nossa alavancagem e na entrega do projeto Aripuanã", afirma Martins. 

No combate à COVID-19, a Nexa destinou US$ 4 milhões, entre abril e junho, para protocolos de saúde e segurança, testes de detecção de COVID-19, aquisição de equipamentos de proteção e assistência médica; Aumento dos serviços de limpeza e higiene, medidas de distanciamento social e adequação das instalações; Apoio, em conjunto com o Instituto Votorantim, às comunidades onde a Nexa está presente no Brasil e no Peru para enfretamento da pandemia; e Suspensão temporária das operações das unidades mineiras no Peru. 

Em junho, a Nexa emitiu US$ 500 milhões em bonds com cupom de 6,5% ao ano, com vencimento em 2028. Os recursos líquidos foram utilizados para refinanciar o endividamento existente, incluindo uma linha de crédito rotativo de US$ 300 milhões, o que permitiu manter a liquidez elevada da empresa. No segundo trimestre, o CAPEX atingiu US$ 69 milhões, dos quais 77% alocados no desenvolvimento do projeto da Aripuanã (US$ 46 milhões) e na ampliação da mina de Vazante (US$ 4 milhões). O projeto Aripuanã, localizado em Aripuanã (MT), está focado na produção de zinco, chumbo e cobre e tem previsão para entrar em operação no segundo semestre de 2021. Os demais 23% do CAPEX foram destinados para manutenção das unidades, gestão ambiental e inovação, entre outros. 

No primeiro semestre, a Nexa investiu US$ 149 milhões, dos quais 50% foram destinados para o projeto Aripuanã. Para 2020, a previsão de CAPEX está mantida em US$ 300 milhões, sendo US$ 172 milhões para o projeto Aripuanã. A estimativa de produção e vendas para 2020 está mantida, em linha com o anunciado no primeiro trimestre. A produção de zinco deverá alcançar entre 300 e 335 mil toneladas no ano. Em relação à produção de cobre, a Nexa calcula algo entre 30 e 33 mil toneladas, enquanto a produção de chumbo deve ficar entre 33 e 38 mil toneladas. A produção de prata deve chegar entre 6,0 milhões de onças e 6,8 milhões de onças ao longo desse ano. Para o presente exercício, as vendas de metais estão estimadas entre 540 e 580 mil toneladas.