01/12/2020
MANGANÊS

Buritirama investe R$ 130 mi sinterização

A Buritirama Mineração inaugurou, em novembro, uma Planta de Sinterização de seu projeto de manganês em Marabá (PA). A unidade recebeu investimentos de R$ 130 milhões e a companhia acredita que a unidade irá agregar valor ao minério e aumentar em 150 mil toneladas sua capacidade operacional. A nova fábrica da Buritirama reaproveitará os rejeitos da barragem, transformando-o em produto útil para a indústria e de alto valor agregado. “A Buritirama tem investido cada vez mais na sustentabilidade da empresa. Este é mais um passo importante neste sentido, apostando em soluções para aumentar a produtividade por meio da transformação de resíduos em produtos de alto valor agregado para seus clientes, consolidando nosso posicionamento no mercado nacional e internacional”, diz o presidente da companhia João Araújo. 

Com este novo procedimento, o minério é compactado e submetido a temperaturas elevadas, eliminando contaminantes e criando uma alteração na estrutura microscópica do elemento base, a fim de obter uma peça sólida coerente. O incremento da produção com essa a recuperação metalúrgica dos rejeitos propiciou à empresa a geração de 150 postos de trabalho, aumentando a força de trabalho da Buritirama para mais de 3.500 empregos diretos e indiretos. “Além de ampliarmos a geração de emprego e renda, auxiliando no crescimento da região e do país, também abriremos portas para novos mercados, fortalecendo nossa missão de construir uma empresa de classe mundial que seja referência, com crescimento sustentável e sermos reconhecidos como a melhor opção de matérias-primas de minério. Este é um grande passo rumo aos objetivos corporativos da Buritirama”, completa João Araújo.

A Buritirama é a primeira mineradora no Brasil a implantar um sistema de geração de energia fotovoltaica para abastecer 100% sua operação, em parceria com a fabricante de baterias Tesla. A unidade estará pronta em meados de 2021.