25/01/2018
SEGURANÇA

Usiminas fecha 2017 sem acidentes

A Usiminas fechou o ano de 2017 sem nenhum acidente registrado nas operações da empresa. O presidente da companhia, Sergio Leite, comemorou a conquista. “Terminar o ano de 2017 sem acidente fatal, após 23 anos, é muito importante para todos nós, equipe Usiminas; são nossas vidas preservadas. Vamos construir um ano de 2018 na rota do Zero Acidente”, celebra.
 
Para o gerente geral de Segurança da Usiminas, Eduardo Moreira Barbosa, a marca reflete os esforços de gestão em relação à segurança. “Mesmo durante o período de crise mais aguda, realizamos ações nas áreas de modo a reduzir riscos e também diversas iniciativas de conscientização junto aos colaboradores. Conquistamos melhorias em todos os índices de segurança do trabalho e seguimos trabalhando firmemente com a meta ideal de não registrarmos qualquer tipo de acidente nas nossas unidades e empresas”, afirma.
 
A Usiminas implantou o Programa Mãos Seguras, que valoriza sugestões das equipes internas em torno da segurança. Desde que foi criado, em 2014, já foram mais de dois mil dispositivos implantados nas áreas operacionais. “As mãos são, de modo geral, a parte mais exposta e sujeita a acidentes. Tendo esse ponto central, conseguimos avançar na preservação da integridade física e também em pontos importantes como ergonomia”, conta o gerente geral. A iniciativa foi reconhecida recentemente pela Word Steel Association (WSA), como Excelência em Segurança Operacional. O certificado foi entregue ao presidente da Usiminas, Sergio Leite, durante o congresso da associação, realizado na Bélgica, no último mês de outubro.
 
Na primeira semana de janeiro de 2018, mais 180 colaboradores da Usina de Ipatinga concluíram o treinamento para participarem da iniciativa. Durante o treinamento os participantes conheceram a maneira correta de acessar o novo programa, apresentando o fluxo completo das etapas de aprovação dos dispositivos enviados. 
 
A siderúrgica desenvolve ainda em parceria com a Fundação São Francisco Xavier, entidade ligada à empresa, programas de estímulo à atividade física, alimentação saudável e redução do tabagismo, por exemplo. O Sistema Usiminas de Saúde realiza, ainda, visita às áreas para observar quais os movimentos realizados pelos colaboradores, tipos de carga e afins e que possam refletir em dores e outras questões ergonômicas. “Essa visão ampla e a preocupação com o bem estar do colaborador reflete diretamente no comportamento em relação ao autocuidado”, destaca Eduardo Barbosa.