28/08/2019
GARIMPO

Serra Pelada é tema de debate no Sesc

O Sesc Avenida Paulista promove o bate-papo “As Vidas de Serra Pelada” no próximo dia 4 de setembro, às 19h30 na Praça (térreo). O bate-papo será mediado pelo jornalista Paulo Roberto Ferreira e terá a participação dos mineradores Etevaldo da Cruz Arantes e Ivan Barros de Almeida Lima, além de garimpeiros que viveram e trabalharam no que foi o maior garimpo a céu aberto do mundo, na Amazônia Paraense. Os mineradores Etevaldo e Ivan compartilham com o público sobre como era o dia-a-dia no garimpo, as vidas que se perderam, os homens que enriqueceram e os que saíram de mãos vazias. A atividade é gratuita e para participar é necessário retirar ingressos com uma hora de antecedência.

O encontro faz parte da programação integrada da exposição "Gold – Mina de Ouro Serra Pelada", registro da década de 1980 do premiado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado. A exposição acontece até 03 de novembro, das 10h às 21h30 (terça a sábado) e das 10h às 18h30 (domingos e feriados) no Arte I (5º andar) – Educativo no 6º andar. Sebastião salgado expõe mais de 50 fotografias que revelam o que foi Serra Pelada. Até novembro, uma série de atividades acontece na programação integrada à exposição, com cursos, oficinas, bate-papos e saídas fotográficas.

Desde sua descoberta, em 1979, o local, na atual cidade de Curionópolis, chegou a receber 50 mil garimpeiros, de diversas partes do país, em busca do mesmo sonho: enriquecer. O "formigueiro humano", que recebeu o título de maior mina a céu aberto do mundo, tinha um fluxo intenso de trabalho, com 200 metros de diâmetro e mesma profundidade. O garimpo era repartido em lotes de 2x3 metros, e os trabalhadores divididos segundo suas funções: meia-praça, cavador, apontador, apurador e o formiga. Não eram permitidas mulheres, armas e álcool, sendo os policiais federais responsáveis por conter a violência. A mina foi fechada em 1992, por questões de segurança.