R$ 144 milhões para usina em Sabará

01/06/2022
A unidade receberá dois novos equipamentos automatizados para a trefilação que irão ampliar o suporte aos clientes.

A ArcelorMittal anunciou investimento de R$ 144 milhões, até 2024, na unidade de Sabará (MG). Com o novo aporte, o quinto anunciado pela companhia nos últimos meses, o montante que será aplicado pela empresa nas suas operações brasileiras soma R$ 7,8 bilhões, o maior da indústria siderúrgica em andamento no País. Os investimentos serão para expansão de projetos durante 2022 e 2025, nas unidades de Vega (SC), Monlevade e Serra Azul (MG) e Barra Mansa (RJ), além de Sabará (MG). 

O maior volume dos investimentos, de R$ 4,5 bilhões, será para ampliações em Minas Gerais, onde a capacidade da empresa será aumentada em 35% para oferecer soluções de alto valor agregado para os setores automotivo e da indústria. “O investimento reforça a nossa posição no mercado brasileiro e incrementa a competitividade da empresa nos setores automotivo e da indústria. É bom destacar que nove dos dez veículos mais vendidos no Brasil utilizam aço produzido na unidade de Sabará”, explica Jefferson De Paula, presidente da ArcelorMittal Brasil e CEO da ArcelorMittal Aços Longos e Mineração LATAM. No caso do setor automotivo, os novos produtos vão ser aplicados tanto em carros populares como nos Sport Utility Vehicle (SUVs). 

A unidade de Sabará receberá dois novos equipamentos automatizados para a trefilação que irão ampliar o suporte aos clientes. “A iniciativa fortalece a nossa estratégia de foco do cliente. O aumento do mix de produtos e de soluções vai acompanhar o crescimento dos mercados automotivos, de ferramentas e ferroviário, intensificando a nossa participação no mercado”, afirma De Paula. A produção será voltada prioritariamente para o mercado interno.

A expansão permitirá a geração de cerca de 90 empregos temporários a partir do segundo semestre de 2022, durante as obras civis para a readequação dos galpões para as máquinas. A planta de João Monlevade terá investimentos de R$ 2,5 bilhões e a implantação de mais uma sinterização, um novo alto-forno e a duplicação da aciaria, elevando a capacidade de produção de aço em mais de 1 milhão de toneladas/ano, enquanto Serra Azul (Itatiaiuçu) terá aportes de R$ 1,8 bilhão e uma nova planta de beneficiamento de minério com capacidade de 4,5 milhões de toneladas anuais, além de uma nova frota de equipamentos de operação na mina, entre caminhões, escavadeiras e perfuratrizes.