16/11/2017
ZINCO

Nexa anuncia inversões de US$ 326 milhões

O CEO da Nexa Resources (ex-Votorantim Metais), Tito Martins, anunciou que a empresa pretende realizar, em curto prazo, investimentos de US$ 326 milhões, sendo o maior valor (US$ 210 milhões) destinado ao desenvolvimento do projeto Aripuanã, para produção de zinco em Mato Grosso. Outros US$ 93 milhões serão direcionados para o projeto de ampliação da mina de Vazante, em Minas Gerais. Também serão aplicados US$ 23 milhões na refinaria de zinco de Cajamarquilla, no Peru. Neste caso, os recursos destinam-se ao projeto de conversão para o processo Jarosita. Com esses investimentos, a empresa pretende acelerar o processo de crescimento da sua produção de zinco, segundo Martins.
 
No terceiro trimestre de 2017 a Nexa registrou uma redução nos níveis de produção de zinco (menos 20%), chumbo (-16%) e cobre (-9%). Em contrapartida, sua receita consolidada no período aumentou 8% em relação a igual período do ano passado, evoluindo de US$ 207 milhões para US$ 224 milhões. Nos nove primeiros meses do ano a receita líquida cresceu 17% e alcançou US$ 628 milhões (contra US$ 537 milhões no mesmo período do ano passado). O aumento de receita foi proporcionado principalmente pela melhor performance do site Cerro Lindo, no Peru. 
O Ebitda consolidado também cresceu 5% no último trimestre, perfazendo US$ 97 milhões (US$ 92 milhões no mesmo período de 2016). Já nos nove meses de 2017, o Ebitda somou US$ 264 milhões, aumento de 24% sobre igual período de 2016. 
 
Portfólio de projetos
 
A Nexa Resources possui vários projetos em seu portfólio, tanto em nível brownfield como greenfield. Em brownfield, destacam-se os projetos Cerro Lindo (melhoria da produtividade e continuidade dos programas de exploração), Vazante (extensão da vida útil da mina), Pasco (integração dos processos), Morro Agudo (projeto Trend Ambrósia) e Cajamarquilla (melhoria de 3% na recuperação de zinco).
 
Já em brownfield os destaques são os projetos de zinco Aripuanã e Caçapava do Sul (ambos no Brasil) e Shalipayco, Florida Canyon e Hilarión (no Peru). Há também dois projetos de cobre, Magistral e Pukagaga, no Peru.