09/08/2018
MAGNÉSIO

Medidas afetam indústria chinesa

O Governo chinês adotou medidas severas de combate à poluição que acabou se estendendo por toda a indústria de mineração do país desde o início de 2017. Com isto, muitas fábricas de calcinação e fusão de magnésio foram fechadas, o que levou a uma redução na oferta do produto e preocupação com o futuro da cadeia de suprimentos de compostos de magnésio da China.
 
A China dominou a oferta mundial de magnésio durante décadas, representando 70% da capacidade mundial de produção de magnésio e 60% da produção mundial. A produção chinesa de magnésio está concentrada na província de Liaoning, principal região produtora e dividida entre dois centros: Dashiqiao em Yingkou e Haicheng em Anshan. Em Dashigiao existem mais empresas processadoras, porém menos recursos de Magnesita, enquanto em Haicheng há uma quantidade maior de recursos de magnesita e empresas de mineração primárias. A mineração de magnesita e a produção de magnésio em ambas as regiões foram severamente afetadas por uma combinação de fornecimento muito limitado de explosivos para a mineração e inspeções ambientais pelo governo, levando ao fechamento de fábricas.
 
Além do maior controle ambiental, o governo chinês apertou o cerco com explosivos, o que levou à interrupção da extração de minério de Magnesita. A escassez de minério foi exacerbada no início de 2018 pela proibição da mineração ilegal de magnesita em Haicheng. 
 
O 13º Plano Quinquenal da China (2016-2020) estabelece objetivos claros para tornar o país mais sustentável. São oito metas obrigatórias de qualidade ambiental incluídas no plano que apontarão o futuro da mineração e do processamento na China durante a maior parte do período de previsão de cinco anos para a nova 14ª edição do relatório de mercado Roskill sobre Compostos de Magnésio.
 
O Presidente Xi Jinping está focado no controle da poluição, bem como no crescimento econômico para seu segundo mandato, com implicações para a cadeia de fornecimento global de compostos de magnésio, assim como muitas outras matérias-primas industriais. A RHI Magnesita anunciou em junho que investirá 20 milhões de euros (US$ 23 milhões) em uma fábrica de dolomita em Chizhou, província de Anhui, na China, para fortalecer sua posição no mercado chinês e enfrentar a escassez de oferta global. 
 
O aperto da oferta que afeta os mercados da magnésia deverá persistir no futuro. Os preços da magnésia de alta qualidade permanecem firmes devido à falta de matérias-primas, enquanto o governo chinês continua a exercer controles rigorosos sobre a mineração.