30/11/2017
CPRM

Mapas de áreas de risco em Rondônia

Os pesquisadores da Residência de Porto Velho realizaram estudo Ação Emergencial para Reconhecimento de Áreas de Alto e Muito Alto Risco a Movimentos de Massas e Enchentes. O levantamento foi realizado em 35 municípios de Rondônia. Em Porto Velho foram identificadas 36 áreas de alto risco, que somam cerca de 4.300 imóveis e 17 mil pessoas, que podem ser atingidas por inundações. 
 
A iniciativa faz parte do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, que atua em quatro eixos (prevenção, mapeamento, monitoramento e resposta), coordenado pela Casa Civil da Presidência da República com participação dos Ministérios da Integração Nacional, de Minas e Energia, das Cidades, de Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicação e da Defesa. A setorização de riscos geológicos tem por finalidade identificar, classificar, delimitar e caracterizar áreas ou setores de risco sujeitos a movimentos de massa – enchentes, deslizamentos e enxurradas. Desde 2011, o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) atua no eixo da prevenção, mapeando áreas de risco em 1.270 municípios com potencialidade de risco aos processos de deslizamento, enxurradas, inundações e erosões. Os mapas resultantes deste trabalho emergencial são disponibilizados às Defesas Civis de cada município e os dados finais irão alimentar o banco nacional de dados do CEMADEN (Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) e do CENAD (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres).