17/01/2019
NEXA RESOURCES

Investimentos de US$ 420 milhões em 2019

A Nexa Resources deverá investir um total de US$ 420 milhões em 2019, sendo a maior parte (US$ 317 milhões) destinada ao segmento de mineração, principalmente na implantação do projeto Aripuanã, para o qual a companhia recebeu a Licença de Instalação (LI) em dezembro de 2018. Outros US$ 94 milhões serão investidos na área de metalurgia, sendo destaque o processo de conversão para Jarosita da unidade de Cajamarquilla, no Peru. 
 
De acordo com Tito Martins, CEO da Nexa Resources, quase metade dos investimentos serão direcionados para expansão, com foco na extensão da vida útil de projetos brownfield e projetos greenfield que a empresa tem em seu portfólio. Os principais projetos a serem desenvolvidos em 2019, segundo ele, são a construção do projeto Aripuanã, que terá US$ 140 milhões, o aprofundamento e extensão da vida útil da mina de Vazante, que contará com US$ 24 milhões, e a conversão de Cajamarquilla para o processo Jarosita, com US$ 24 milhões de investimento programados para este ano. 
 
A empresa também anunciou investimentos de US$ 128 milhões para a área de exploração mineral, sendo US$ 75 milhões em exploração e US$ 53 milhões para o desenvolvimento de projetos. O objetivo, segundo Martins, é incrementar o montante de reservas e recursos minerais da companhia. Dos US$ 75 milhões destinados à exploração mineral, US$ 36 milhões irão para projetos brownfield e US$ 33 milhões para greenfield. Já as inversões de US$ 53 milhões para desenvolvimento de projetos incluem US$ 30 milhões voltados aos projetos em estágio FEL1 e FEL2, dos quais US$ 23 milhões estão relacionados a projetos greenfield (como Shalipayco, no Peru, que terá US$ 14 milhões) e US$ 7 milhões para projetos brownfield. 
 
Produção 
 
Embora a produção de zinco equivalente tenha sido 3% menor do que a registrada em 2017 – devido à menor produção de cobre, como resultado de teores mais baixos – no total a produção da companhia ficou em linha com o que havia sido projetado para 2018. Foram produzidas, no total, 373 mil toneladas de zinco, 39 mil toneladas de cobre, 52 mil toneladas de chumbo, 7,99 mil de onças de prata e 29 mil onças de ouro, contra uma produção de 375 mil toneladas de zinco, 44 mil toneladas de cobre, 53 mil toneladas de chumbo, 7,94 mil onças de prata e 33 mil onças de ouro em 2017. 
 
Por unidade, a maior participação na produção foi de Cerro Lindo, no Peru, com 44,2% do total, seguida por Vazante, no Brasil, com 25,9%, El Porvenir (Peru), com 16,1%, Atacocha (Peru), 8,2% e Morro Agudo (Brasil), com 5,6%. Isto significa que atualmente 68,5% da produção da Nexa está está sendo realizada no Peru. Para 2019, a empresa projeta um aumento de 3% na produção de zinco em relação a 2018, como resultado de maiores volumes de minério a ser processado. 
 
Em termos de metal, as vendas de zinco metálico somaram 617 mil toneladas em 2018, um aumento de 4% em relação a 2017, quando foram vendidas 594 toneladas. Houve aumento tanto em Cajamarquilla (Peru) quanto em Três Marias (Brasil).

Veja também