12/06/2019
VALE

Instalados canhões de névoa em Tubarão

A Vale instalou canhões de névoa no pátio de pelotas das usinas 1 e 4 da Unidade Tubarão, em Vitória (ES). Os equipamentos inéditos no Brasil já operam e lançam microbolhas de água sobre as pilhas, formando uma espécie de neblina. Ao se juntar com partículas em suspensão, as microbolhas aumentam a eficiência do sistema de controle ambiental já existente, composto por wind fence (barreira de vento) e supressor de pó. 
 
Os três canhões de névoa instalados têm acionamento automático e estão previstos no Plano Diretor Ambiental da Vale, além de estar no Termo de Compromisso Ambiental assinado pela mineradora, com ações previstas até 2023. Entre os destaques das ações de controle da poeira estão a aplicação de produto à base de celulose nas pilhas de minério - em uso desde o ano passado; a implantação de quatro novas wind fences; e a adequação de 40 km de correias transportadoras. Este ano, serão concluídos o fechamento inferior do píer de carvão e o enclausuramento da baia de insumos da Usina 8.
 
As medidas somam investimentos de R$ 1,27 bilhão e atendem recomendações do Plano de Metas da Companhia Ambiental de São Paulo (Cetesb), do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) e dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, focadas em tratar as fontes de emissões difusas provenientes da movimentação de produtos em pátios, correias transportadoras, píeres e usinas. Também estão previstos estudos de novas tecnologias para as chaminés, além de ações relacionadas ao tratamento de efluentes.
 
Na unidade de Tubarão a Vale já investiu R$ 124 milhões em contratos assinados. As obras geraram 1.200 vagas de emprego na Grande Vitória e outros 500 profissionais devem ser contratados até o final do ano. As vagas abertas são para mecânicos, soldadores, caldeireiros, montadores de andaime, eletricistas, carpinteiros, pedreiros, pintores, projetistas e engenheiros. A implantação dos projetos deve gerar cerca de 3.200 empregos diretos no pico das obras.
 
O Plano Diretor Ambiental representa um avanço nos investimentos e resultados para redução de poeira alcançados pela Vale nos últimos anos. Com os investimentos feitos entre 2007 e 2017 - que somam cerca de R$ 1 bilhão - os equipamentos de controle ambiental da Unidade Tubarão já se encontram entre as chamadas Melhores Tecnologias Práticas Disponíveis (MTPD), de acordo com o relatório elaborado pela Cetesb, pelo Iema e pelos ministérios públicos, o que reafirma a eficiência dos controles ambientais instalados nos últimos anos.

Veja também

05/06/2019
BARRAGENS | Vale reduz alerta em Vargem Grande
05/06/2019
GONGO SOCO | Risco de dano por talude é atenuado
29/05/2019
BARÃO DE COCAIS | Vale reforça medidas preventivas
23/05/2019
BARÃO DE COCAIS | Medidas de emergência em Gongo Soco
15/05/2019
MINÉRIO DE FERRO | Vale investe em processamento a seco