04/10/2018
ALUMINA

Hydro anuncia fechamento temporário

A Hydro Alunorte anunciou o fechamento temporário de sua refinaria em outubro de 2018. A decisão foi tomada por conta da área de depósito de resíduos de bauxita 1 (DRS1) estar próxima de atingir a sua capacidade, devido ao embargo ao filtro-prensa de última geração e à recém-desenvolvida área de depósito de resíduos de bauxita (DRS2). 
 
A Alunorte está operando com 50% de produção desde março, após embargos de autoridades brasileiras. As autoridades ambientais confirmaram que não houve derramamento ou transbordamento das áreas de resíduos, entretanto estes embargos impediram a empresa de utilizar a mais nova área de depósito de resíduos de bauxita, que estava em operação em fevereiro, e a tecnologia de filtros de prensas de ponta, representando um investimento de mais de R$ 1 bilhão. O filtro-prensa é a tecnologia mais moderna e sustentável para depositar resíduos de bauxita, reduzindo a área de armazenamento necessária e a pegada ambiental. A Alunorte, desde o embargo, fez esforços para que as autoridades dessem a permissão para utilizar o filtro-prensa, mas sem sucesso.
 
Com o embargo a Alunorte foi obrigada a operar apenas o DRS1, que foi originalmente planejado para ser eliminado, e os filtros de tambor, menos eficientes. O DRS1 está próximo de seu fim de vida mais rápido do que o previsto, forçando a Alunorte a tomar a decisão de encerrar temporariamente 100% de suas operações. Isso terá efeito imediato na mina de bauxita Paragominas, que também fechará 100% das operações. Tanto a Alunorte quanto a Paragominas iniciaram o processo de desligamento com segurança. “Nosso pessoal tem trabalhado duro nos últimos sete meses para manter operações seguras e preservar empregos. Este é um dia triste porque temos a tecnologia mais avançada do mundo disponível para continuar com operações seguras, que são impedidas de usar, e isso afetará empregos, comunidades, fornecedores e clientes”, diz John Thuestad, EVP Bauxite & Alumina. 
 
A Hydro trabalha junto aos sindicatos para reduzir ao máximo as consequências do fechamento da unidade para os funcionários, mas a paralisação da Alunorte e Paragominas afetará os funcionários diretos e indiretos em ambas as fábricas. A empresa afirma que é cedo para dimensionar o impacto total do fechamento, mas é certo que a decisão provocará efeitos operacionais e financeiros significativos, potencialmente também para o portfólio de alumínio primário da Hydro, incluindo a Albras. “Continuaremos trabalhando de forma construtiva com as autoridades para levantar o embargo e retomar as operações, a fim de restabelecer a Alunorte como a principal refinaria de alumina do mundo”, diz Thuestad.